Visitantes online: 1375
logo topo

sábado, 20 de janeiro de 2018

19/01/2018

15:21

A verdade sobre as câmeras de Benfica demorou, mas apareceu

Marcas da agressão sofrida por Garotinho
Marcas da agressão sofrida por Garotinho

Leiam a matéria da Folha de S. Paulo, que mostra a manipulação das câmeras do presídio de Benfica, confirmada pela perícia, e que eu sempre sustentei, mas a maior parte da mídia, especialmente os veículos das Organizações Globo, por vingança contra mim, pelas denúncias que fiz sobre as propinas pagas pelo grupo da família Marinho, preferiu propagar a falsa versão de autolesão.

Reprodução da Folha de S. Paulo
Reprodução da Folha de S. Paulo


19/01/2018

12:53

Acabou a festa em Benfica

Reproduções do Globo e do G1
Reproduções do Globo e do G1

Antes de mais nada quero deixar claro que meu objetivo não é tripudiar do ex-governador de Sérgio Cabral, mesmo com a forte suspeita, conforme bilhete que recebi de um preso e exibi aqui no blog, de que o ex-governador estaria por trás da agressão que sofri em Benfica.

Mas as decisões judiciais de transferir Cabral para Curitiba e de afastar o secretário de Administração Penitenciária, Erir Ribeiro foram uma resposta ao "escárnio com o Judiciário", como expressou o juiz Sérgio Moro na sua decisão. O promotor do MP Estadual, Matheus Pinaud, se referindo à situação de Cabral em Bangu, e depois em Benfica, afirmou no seu pedido de transferência para Curitiba que o ex-governador "foi chefe de Estado, mas não será chefe de cadeia".

Além das denúncias que fiz, a imprensa mostrou a farra de Cabral e sua quadrilha em Benfica. O ex-governador agia como "chefe do presídio". As farras de Benfica acabaram, pelo menos para Sérgio Cabral.

18/01/2018

15:17

Ministérios Públicos Estadual e Federal constatam falhas nas câmeras de Benfica onde Garotinho foi agredido

Imagem da Globo News
Imagem da Globo News

Sobre a decisão do juiz Sérgio Moro determinando a transferência de Sérgio Cabral de Benfica para o complexo penitenciário de Curitiba, daremos todos os detalhes, inclusive mostrando o documento logo após a reunião.

Porém descrevo trecho da decisão, que revela o que falei quando fui covardemente agredido dentro da unidade de Benfica: “Salta aos olhos a gravidade dos chamados ‘pontos cegos’ e da precariedade do sistema de câmeras, que apresentou falhas e interrupções que acabaram prejudicando a investigação em alguns pontos. Intencional, conforme ressaltou o Ministério Público Federal, ou não, o que não se pode ignorar é que tais falhas prejudicam a fiscalização por parte dos órgãos públicos, inclusive quanto à fiscalização da comunicação dos presos com outros detentos e com visitas. As imagens apuradas revelam verdadeiro escárnio com o Poder Judiciário.”

Não preciso dizer mais nada. Aquelas pessoas que duvidavam que eu tinha sido covardemente agredido não precisam acreditar nas minhas palavras. Acreditem na constatação feita pelos Ministérios Públicos Federal e Estadual, e confirmada pelo juiz Sérgio Moro. As outras irregularidades também gravíssimas mostraremos depois.

Paralelamente à decisão de Moro a juíza Caroline Figueiredo, da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro, que cobre as férias de Marcelo Bretas também determinou a transferência de Cabral.

Clique aqui para ler a decisão do juiz Sérgio Moro

Clique aqui para ler a decisão da juíza Caroline Figueiredo


18/01/2018

13:34

Garotinho na reunião sobre rumo político

17/01/2018

22:31

Garotinho fala do novo rumo partidário e convoca para reunião desta quinta (18)

Às 14 horas, no Clube Municipal, na Tijuca

17/01/2018

12:02

REUNIÃO COM GAROTINHO MANTIDA

Companheiros e amigos a nossa reunião de amanhã (quinta), dia 18 de janeiro, às 14 horas, continua mantida.

Sua presença agora é ainda mais importante.

Presidentes de diretórios municipais, vereadores, presidentes de movimentos sociais, parlamentares e todos os militantes de todas as cidades e da capital devem comparecer.

Conto com você para ajudar na convocação.

Compareça!

CLUBE MUNICIPAL -Rua Haddock Lobo, 354 - Tijuca

ANTHONY GAROTINHO

16/01/2018

17:54

A LUTA CONTINUA

Acabei de receber uma ata da Comissão Executiva Nacional do Partido da República dissolvendo a Comissão Executiva Regional Provisória do PR no Estado do Rio de Janeiro. As alegações não tem nada a ver com a realidade. Afirmam que a propaganda partidária nacional através de inserções, que foi transferida para o estado acabou gerando perda de dois minutos e meio do tempo que seria destinado ao partido a nível nacional. Isso já foi desmentido por mim desde o ano passado quando ficou consignado no acórdão do TSE que o partido perdeu o tempo de televisão por não destinar, a nível nacional, o tempo obrigatório para as mulheres.

O segundo motivo alegado pela direção nacional, leia-se Valdemar da Costa Neto, é que nas eleições de 2014 o PR elegeu seis deputados federais, segunda maior bancada do estado, e muitos saíram e que foram eleitos oito deputados estaduais, restando apenas dois "que tem sido ameaçados de forma pública pelo presidente do PR, Anthony Garotinho, de serem expulsos do partido." É verdade. Expulsos porque se renderam à pressão de Sérgio Cabral, Picciani e à quadrilha do PMDB. Em 2014 o PR elegeu a segunda maior bancada de deputados federais, só ficando atrás do PMDB, que detinha a máquina estadual, da Prefeitura do Rio e a maioria das prefeituras. E mesmo assim, nossa coligação com o PROS elegeu oito deputados federais, seis do PR e dois do PROS.

A maior bancada proporcional do partido no país, já que São Paulo e Minas também elegeram seis. Só que São Paulo tem 70 cadeiras de deputados federais e o Rio, apenas 46. Em Minas, o número de vagas para deputado federal é bem maior que o Rio.

A ata também afirma que a situação da atual Comissão Provisória do Partido da República no estado é insustentável e que a proposta de dissolução da Comissão Executiva foi aprovada por unanimidade dos presentes. O senhor presidente esclareceu ainda "que entendia que nesse momento não deveria ser designada uma nova composição. Que, pela importância do estado do Rio de Janeiro e diante dos interesses partidários a nível nacional, entendia ser melhor aguardar as tratativas que vem sendo conduzidas pelas lideranças nacionais do PR, com vistas a oportunamente designar uma futura comissão executiva regional provisória do Partido da República no estado do Rio de Janeiro." E foi acompanhado pela unanimidade dos presentes estando vacante a Comissão Executiva do PR/RJ, sem representatividade partidária por tempo indeterminado.

Agora, vamos à verdade. Minha ida para o PR foi em decorrência da compra dos partidos políticos pelo PMDB do Rio de Janeiro. Chegou a um momento que, no governo do estado, Cabral tinha o apoio de 13 partidos. Somados aos que apoiavam Eduardo Paes na prefeitura, esse número subia para 21. Me deixaram sem opção.

Outro fator que vinha causando intenso desgaste foi a opção do partido em fechar questão em temas que historicamente são inegociáveis para mim, especialmente a Reforma Trabalhista que rasgou a CLT de Getúlio Vargas, o desmonte do estado brasileiro através da limitação do teto de gastos públicos mas mantendo livre o gasto para pagamento aos bancos, a famigerada Reforma da Previdência que serve unicamente para prejudicar os trabalhadores brasileiros.

Já esperava por isso. A última vez que estive no PR, em Brasília, foi extremamente constrangedora. Na saída, me deparei com um prefeito eleito com o meu apoio levando a tiracolo Índio da Costa para obter o apoio do PR.

Aproveitaram um momento circunstancial, onde estou enfrentando a maior quadrilha da história do Rio de Janeiro, para me jogar ao vento. Não me conhecem. A fraqueza nunca foi uma das minhas marcas nem a traição, a falta de palavra. E, por isso, na última eleição, apesar de solitário e traído, obtive mais de 1 milhão e 600 mil votos e até hoje, passados quase oito anos, nenhum político conseguiu atingir a minha votação à Câmara Federal em 2010, quase 700 mil votos.

Pra quem viveu a maior parte da sua vida discutindo e aprendendo política com Brizola, Darci Ribeiro, estudando o trabalhismo de Vargas, de Jango, lutando ao lado daqueles que defendem um país mais justo, passar um período no PR foi um ponto fora da curva na minha história.

Eu não sei se devo lamentar ou comemorar a decisão. Talvez seja a hora de eu me reencontrar com meus princípios históricos, os quais nunca abandonei: o nacionalismo, o trabalhismo e a defesa do povo.

Lamento apenas ter sido informado pelo whatsapp, afinal, foram as minhas votações e dos candidatos que apoiei que deram ao partido o tempo de televisão que dispõe hoje e boa parte do fundo partidário.

Deixo o PR aliviado já que o partido hoje é uma sucursal do governo Michel Temer, que está entregando o Brasil, perseguindo aposentados, comprando deputados para aprovar reformas políticas, gastando bilhões para não ser investigado sobre as malas de Geddel Vieira Lima, as mutretas de Cunha, as maracutaias de Rodrigo Rocha Loures.

Portanto, quero comunicar aos meus companheiros que a reunião de quinta-feira, que seria do PR, às 14 horas, no Clube Municipal, na Rua Haddock Lobo, nº 359, na Tijuca, está mantida. Porém, com uma outra finalidade, discutir para onde o nosso grupo político vai caminhar nas próximas eleições. Vamos ver agora de que lado cada um vai se colocar nesse momento decisivo da história do estado do Rio e do Brasil. Se pensam que me abateram com mais essa apunhalada nas costas, estou tranquilíssimo, aliviado e consciente que nada, a não ser a vontade de Deus, me tirará das duas missões que coloquei como prioritárias na minha atividade política para este ano, devolver o estado do Rio ao nosso povo e lutar para o Brasil se livrar dessa gente, que não tem amor à nossa pátria, cujo único amor é pelo dinheiro.

O país precisa de pessoas corajosas e não covardes. Precisa romper acordos que há anos mantém o povo alijado do processo político. Isso custa caro; perseguições na justiça, censura com os meios de comunicação - inclusive impedindo de falar com o povo através da rádio, negociações das cúpulas partidárias para te deixar sem partido, estrangulamento financeiro... Mas nada disso diminui o meu ânimo em combater o bom combate para "passar o Brasil a limpo."


Anthony Garotinho

16/01/2018

06:22

Ministro do TSE mantém Garotinho na presidência regional do PR

Com a decisão do ministro do Tribunal Superior Eleitoral, Admar Gonzaga Neto, qualquer medida cautelar imposta a mim será revogada e poderei exercer normalmente a direção regional do PR aqui no Rio de Janeiro.

Clique e leia a íntegra da decisão

15/01/2018

23:15

Garotinho ao vivo no Facebook

15/01/2018

12:16

Às amigas e aos companheiros de luta

Foto de Gerson Gomes
Foto de Gerson Gomes

O último ano foi intenso em perseguições.

Os setores que não desejam o Estado com um governo popular e nacionalista intensificaram seus ataques pelos meios de sempre, a mídia, a justiça e o poder econômico.

Apesar de tudo que fizeram e do imenso dano emocional causado a minha família, não atigiram o seu objetivo.

Continuo elegível, sem condenação em segunda instância, nada foi provado contra mim, portanto pronto para disputar a eleição ao Governo do Estado.

Conforme disse em outra ocasião, depende de vocês, da minha parte estou firme para enfrentar de peito aberto e cabeça erguida o desafio da campanha, e depois a batalha de reconstruir o estado para o nosso povo.

Está nas mãos de vocês

ANTHONY GAROTINHO

12/01/2018

14:07

Reunião de Campos

Gostaria muito de ter estado com vocês fisicamente na reunião de ontem em Campos, mas meu coração estava e o meu espírito também.

Embora o Juiz Ralph Manhães tenha dado uma decisão com a qual não concordo, decisões judiciais devem ser cumpridas, mesmo as mais absurdas, para serem enfrentadas juridicamente nos tribunais superiores.

A decisão dele praticamente me impediu de estar com vocês e na minha visão será revertida, pois representa uma desobediência a uma corte Superior, mas não incentivo descumprimento de decisão judicial por mais absurda que seja.

Vamos continuar confiando na verdade, no bem, na justiça dos justos e Naquele que é o verdadeiro juiz de nossas vidas.

Beijos e abraços a todos, em breve Campos estará livre e o povo feliz.

Parabéns a todos pela bela reunião.

ANTHONY GAROTINHO

10/01/2018

17:57

Linha Direta com Garotinho

10/01/2018

11:48

O cara é complicado

Outro dia, encontrei um amigo jornalista e começamos a conversar sobre política. De repente, surge o nome de Garotinho. A expressão dele foi muito engraçada.

-“Você conhece bem ele? Eita sujeito complicado! Adora uma briga...”

Expliquei a ele que acompanho a trajetória de Garotinho desde Campos, quando começou no rádio e, de fato, é uma figura polêmica mas que, analisando suas brigas, divergências políticas e outras situações , em 99% dos casos ele tinha razão.

Meu amigo então me questionou: - "Como assim, o cara briga com todo mundo e tem sempre razão?”

Disse a ele que os setores que se opuseram a Garotinho ao longo dos anos são sempre os mesmos. Em Campos, sua cidade natal, eram contra o Garotinho a mídia, o judiciário e uma elite que ainda guarda preconceitos da época em que Campos foi um polo importante da escravidão no Brasil. Por outo lado, Garotinho sempre teve o apoio dos trabalhadores, donas de casa, pessoas do povo e, pelo fato de ser um radialista, falava direto com as massas, criando aí um outro problema com os políticos que queriam controlá-lo. Mas a facilidade de se comunicar direto com o eleitor sempre o colocou do lado dos mais pobres.

E prossegui dizendo: - "Veja, no Rio, é a mesma coisa. Quem é contra o Garotinho? A Globo, a justiça, setores do judiciário, as elites econômicas, os grupos ligados a setores que exploram o trabalhador, como empresas de ônibus e grandes corporações.”

Mas ele insistia. - "Não é possível. Ele fala demais e às vezes fala o que não precisa falar.”

Calmamente pedi a ele: - "Me dê um exemplo de algo que ele fale demais.”

Ele me disse: - "Briga com a CBF, briga com a Globo, briga com um monte de deputados estaduais e federais, brigou com Sérgio Cabral, com Pezão, com Picciani, com Paulo Melo... Briga com muita gente!”

Eu então lhe fiz uma pergunta que foi o marco divisor de nossa conversa. - "Nas brigas em que ele está ou esteve envolvido ele está do lado certo ou do lado errado?” E completei: “- A questão não é falar, é saber se o que está falando é verdade ou não.”

Meu amigo começou a balançar em relação a Garotinho mas ainda resistia. - "Mas é muito demagogo, é populista. Fica com essa história de Restaurante Popular, Cheque Cidadão, achando que isso vai resolver a vida das pessoas.”

Mais uma vez argumentei: - "Olha, ele e Rosinha fizeram a Universidade da Zona Oeste, o Centro de Ensino à Distância, multiplicaram por dez o número de alunos da FAETEC, fizeram as estradas mais importantes do Estado, modernizaram todas as delegacias através do programa Delegacia Legal, fizeram um monte de coisas, não me lembro de tudo. Mas tenho certeza que nunca atrasaram o salário dos funcionários.

Mas meu amigo não dava o braço a torcer. -"Ele é complicado.”

Então perguntei a ele: - "O que é complicado?”

- “Sei lá. Um cara que você não pode controlar, meio imprevisível.”

E eu perguntei a ele: - Mas um político que não se deixa controlar pelo sistema é bom ou ruim?”

- “Mas ele é complicado...”

- “Você pode me explicar o que é complicado? Eu não estou conseguindo te entender.”

Meu amigo então foi mais claro: - "Complicado é o seguinte, ele vive dizendo muito coisa que precisa ser dita mas não pode ser dita aí ficam arrumando um monte de confusão pra ele.”

- “Vamos fazer um pequeno teste pra eu entender a sua definição de complicado. O que ele falou de Sérgio Cabral, Picciani e outras pessoas do PMDB do Rio é mentira ou verdade?”

- E ele respondeu: - "Não, isso é verdade!”

- “O que ele fala da Globo é mentira ou verdade?”

- "A Globo sempre foi manipuladora. Isso é verdade."

- “E a justiça ultimamente tem cometido mais injustiças do que justiças.”

- "É verdade. Isso sempre foi assim. Mas não é de hoje."

- “Bem, eu teria mais uma série de colocações mas estou entendendo que para você complicado é o cara que fala a verdade.”

- "Não, assim você está me ofendendo..."

- “Não, estou apenas repetindo o que você disse.”

- "Tá vendo como o cara é complicado? A gente não consegue nem concluir uma conversa sobre ele. É melhor parar por aqui. Daqui a pouco nós vamos estar brigando e não foi pra isso que a gente veio aqui, foi pra tomar um chopinho."

- “Quem puxou conversa foi você...”

- "Pois é. De repente, tem certas coisas na vida que é melhor a gente fingir que não vê. Vamos brindar aqui que é mais interessante!"

- “Vamos brindar a quê?”

- "Ao meu salário de novembro que o Pezão acabou de pagar."

- “Tá vendo? O Complicado avisou também.”

- “Poxa, não enche o saco... Vamos brindar a qualquer coisa.”

- “Já que você quer brindar a qualquer coisa eu proponho a você que a gente faça um brinde ao legado olímpico.”

- “Você tá de brincadeira, né? Quer dar uma de Garotinho? Não tem legado nenhum, só dívida! Quer saber? Vamos fazer um brinde ao Complicado.”

- “Agora é você que quer me sacanear, né?”

- “Não. É porque, na verdade, eu nunca parei pra pensar sobre certas coisas. Talvez a política é que seja complicada e as pessoas prefiram políticos que falem o que elas querem ouvir, e não o que precisam."

- “É, vamos deixar pra lá.”

E virando pro garçom, pede: - "Me traz mais um chopinho aí! Mas traz o pequeno, o Garotinho!”


Enviado por Eduardo Travassos de Souza

09/01/2018

13:43

Convocação aos companheiros de Campos

.

07/01/2018

15:28

Toda a violência é injustificável, ainda mais cometida em prédio público

Advogado criminalista questiona caso Garotinho

Fotos tiradas na 21ª DP pela ex-deputada Lilian Sá
Fotos tiradas na 21ª DP pela ex-deputada Lilian Sá

Inicialmente gostaria de deixar claro que não advogo para nenhuma das partes envolvidas na questão que trato neste artigo. O que tentarei mostrar aos leitores é que algo muito estranho ocorreu dentro de um prédio do estado com o ex-governador Anthony Garotinho. Esclareço também que não sou eleitor do mesmo. Mas tratarei apenas de fatos que me levam a uma conclusão preocupante.

O primeiro deles é o resultado da perícia feita nas câmeras da unidade Frederico Marques situada em Benfica. O perito criminal conclui o laudo dizendo não ser possível tirar nenhuma conclusão das imagens das câmeras, pois a 2 e a 4 apresentam sinais de interrupção que podem indicar falha técnica ou edição. O laudo termina com a inconclusão.

Estranhíssimo...

Segundo ponto. A sindicância feita pela SEAP tomou o primeiro depoimento, justamente o do agredido, no dia em que o mesmo acabava de receber um HC concedido pelo presidente do TSE. Constatei que se passaram 25 dias entre o fato e o início da sindicância. É no mínimo um fato a ser investigado.

Terceira situação inusitada é que após consultar peritos apurei que o laudo do Instituto Médico Legal não apresentava nenhuma foto dos locais onde a vítima reclamava ter sofrido agressão. Descobri então que no IML além de não ter sido tirada nenhuma foto, o que não é normal, também não foi feito nenhum exame, sendo o senhor Garotinho apenas “vistoriado” pelo médico. Sinceramente isso não me parece sério.

Há ainda um fato que aprofunda minha desconfiança em relação à condução do caso pelo estado. Pesquisando no blog do senhor Garotinho encontrei um pedido de escolta policial, datado do dia 6 de abril, protocolado no Gabinete Civil do Palácio Guanabara, relatando ameaças que estaria sofrendo oriundas justamente da unidade Frederico Marques (Benfica). Até onde pude apurar nenhuma providência foi tomada pelo governador Luiz Fernando Pezão.

A quarta questão me causou perplexidade como advogado. O senhor Garotinho vinha cobrando a conclusão do retrato falado, iniciado por ele quando estava na unidade Petrolino de Oliveira, e que foi interrompido, segundo informações da Polícia Civil, por problemas técnicos. Apurei com policiais civis o motivo da demora, e para minha surpresa a culpa não era da Polícia Civil, pois o juiz Ralph Manhães, titular da ação em Campos, proibiu o deslocamento do ex-governador a qualquer lugar, até mesmo a delegacia de polícia para confecção de um elemento importantíssimo para a investigação criminal, a confecção do retrato falado. Estranhíssimo...

Aliás, apurei uma sucessão de fatos incômodos. Acho sinceramente que os advogados do ex-governador deveriam acionar o estado na Justiça, afinal ele estava custodiado, “sob a proteção do estado”. Fotos tiradas na 21ª DP pela ex-deputada Lilian Sá

Uma outra situação que me chamou a atenção, essa fora dos procedimentos investigatórios, foi o silêncio do deputado estadual Marcelo Freixo. Ele preside a Comissão de Direitos Humanos da ALERJ. Será que escolhe as vítimas para defender, apurar fatos pelo caráter ideológico? Suponho que não. O silêncio de Freixo é imperdoável.

Outra questão que observo é a letargia do Ministério Público Estadual diante dos sucessivos problemas ocorridos em Benfica. A reincidência tem sido mostrada pela imprensa. Sucessivas visitas não autorizadas, alimentos introduzidos de forma indevida. Há denúncias de uso de telefone celular já que o presídio não possui bloqueadores, até mesmo a instalação de um cine privê dentro do estabelecimento onde está o ex-governador Sérgio Cabral.

Na minha opinião existem elementos suficientes para que o Ministério Público peça o afastamento do secretário de Administração Penitenciária. Quanto ao ex-governador Garotinho os elementos que possuo, e que foram colhidos através de material publicado ou de informações que obtive junto a policiais, me levam à certeza que ele foi agredido.

Se essa moda pega, levar adversários políticos para dentro de estabelecimentos prisionais, e ameaçá-los e espancá-los estaremos voltando a “um tempo infeliz da nossa história”.

Ronaldo Machado – Advogado criminalista


06/01/2018

12:23

Comunicado do PR-RJ

O nosso partido estará realizando uma série de reuniões onde estaremos renovando as direções municipais, filiando novos companheiros para a disputa deste ano e debatendo programas e estratégias.

A primeira reunião geral será no próximo dia 18 de janeiro, no Clube Municipal, na Tijuca, e deverão estar presentes companheiros de todos os municípios.

Acompanha este comunicado resolução do Diretório Nacional do PR. Depois divulgaremos o calendário das reuniões regionais.

Atenciosamente

Anthony Garotinho - Presidente do PR-RJ



PrimeiroAnterior1 2 3 ProximoUltimo