Visitantes online: 1464
logo topo

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

16/10/2017

18:03

A hora de Júlio Lopes está chegando

Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

Secretário de Transportes de Sérgio Cabral, o deputado Júlio Lopes (PP-RJ) está com os bens bloqueados e é acusado de ter pedido propina na obra da Linha 4 do metrô. Seu braço direito, Luiz Carlos Velloso, que era subsecretário, foi preso na Lava Jato do Rio. Júlio Lopes também é investigado na Operação Ponto Final, que prendeu empresários de ônibus que pagavam propina a autoridades estaduais. Mas chama a atenção a declaração do ex-deputado Pedro Corrêa, preso e condenado na Lava Jato: "Esse cara tem que ser investigado. Esse cara fez miséria na secretaria (de Transportes) no Rio".

16/10/2017

17:01

A comprovação do "golpe parlamentar"

Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247

As delação do doleiro Lúcio Funaro só confirmou o que já se sabia no meio político, que deputados receberam dinheiro para para votar pelo impeachment de Dilma, tudo capitaneado por Eduardo Cunha, que pediu o dinheiro à JBS e outros empresários. Se alguém tinha dúvida, não tem mais. Foi um "golpe parlamentar". Pode até ter havido a pedalada fiscal, mas não foi por isso que a Presidente Dilma foi apeada do poder. Temer, Eduardo Cunha, o PMDB e o PSDB, entre outros, conspiraram e compraram o impeachment.

Engraçado que Temer hoje fala em "conspiração" e "golpe" para derrubá-lo. Bem, é uma questão de interpretação, para a maioria dos brasileiros, e as pesquisas mostram isso, Temer está envolvido em corrupção e deveria ser afastado. Mas ainda que fosse golpe, Temer estaria apenas recebendo o troco pelo que articulou.

O PT vai usar a delação para tentar a anulação do impeachment no STF. Aí já é outra história. Duvido que a ação tenha sucesso, o Supremo não vai querer criar uma nova crise institucional.

16/10/2017

15:47

Colocando o dedo na ferida do Estado do Rio de Janeiro

Reprodução do Blog do Pedlowski
Reprodução do Blog do Pedlowski

Está certo o professor Marco Pedlowski na sua análise. Pezão com 81% de reprovação (ruim / péssimo) e apenas 3% de aprovação só se sustenta, não é nem porque tem a maioria dos deputados estaduais na mão, às custas de cargos e outras vantagens, mas principalmente porque conseguiu manter uma certa blindagem da mídia tradicional, e claro, porque mesmo com todas as humilhações sofridas pelo funcionalismo, vários sindicatos que antes lutavam por suas categorias foram cooptados pelo PMDB.

Impressiona o fato de que no Rio de Janeiro, apesar do maior assalto aos cofres públicos da história, com uma sucessão de escândalos atingindo o Governo do Estado e a ALERJ, e com a calamidade financeira que se instalou, ainda não tenha sido palco de uma grande manifestação contra o governador Pezão.

16/10/2017

14:15

Garotinho e a eleição de 2018

Reprodução do Informe do Dia, do jornalista Paulo Capelli
Reprodução do Informe do Dia, do jornalista Paulo Capelli

Relembrando que a reunião do PR-RJ, que vai tratar da eleição de 2018, acontecerá na próxima quinta-feira (19), às 15 horas, no Clube Municipal, na rua Haddock Lobo - 359, na Tijuca. Conto com a presença de vocês.


16/10/2017

12:26

Encontro Marcado com Garotinho (Segunda, 16/10/2017)

16/10/2017

09:28

Fala Garotinho (Segunda - 16/10)

15/10/2017

22:29

Garotinho comenta os temas políticos da semana



15/10/2017

18:36

Hoje tem bate papo com Garotinho, às 22 horas, no Facebook

Hoje à noite, às 22h, farei um live onde comentarei os principais assuntos da semana no Brasil e nosso estado. Claro que não deixarei de falar sobre as mentirinhas do doleiro Lúcio Funaro, em sua delação premiada, tentando me envolver. Chega a ser contraditório o que ele afirma. Basta você assistir ao vídeo abaixo “Garotinho denuncia emenda de Eduardo Cunha como ‘MP dos Porcos’”, no qual Funaro aparece como operador de Cunha e seu sócio em alguns negócios, para perceber que não passa de vingança a mando do ex-deputado, a inclusão sem nenhuma prova concreta de meu nome em uma extensa delação, onde há omissões propositais, como os deputados amigos de Eduardo Cunha, que compõem o Centrão, inverdades e muitas verdades, aquelas que todo mundo já sabia, faltava apenas a materialidade.



Quando na semana passada adiantei que a delação de Funaro seria uma bomba, já tinha lido todos os seus anexos, publicados em primeira mão pelo Blog do Jota, que faz uma cobertura muito voltada ao Supremo, por isso o conteúdo nunca me preocupou.

Com relação a Michel Temer, Geddel Vieira Lima, José Yunes, Moreira Franco, Henrique Eduardo Alves e outros caciques do PMDB, a situação é alarmante. Não sei se isso será capaz de mudar o placar do plenário da Câmara, hoje amplamente favorável a impedir que o Supremo investigue Temer, mas certamente acirrará os ânimos. Hoje, por exemplo, Rodrigo Maia chamou o advogado de Temer de “incompetente e irresponsável”, porque afirmou “ser um criminoso vazamento” a divulgação dos vídeos da delação de Funaro, feita pelo site da Câmara. A tensão é grande entre os presidentes da República e da Câmara. Só não sei se suficiente para impor uma derrota ao presidente da República, embora sua impopularidade seja um fator que pesa mais a cada dia que passa.

Conto com vocês, a partir das 22 horas, no meu Facebook, para debater os principais assuntos do nosso país e do nosso estado.

15/10/2017

11:00

Uma mão lava a outra

Reprodução do Radar online, da Veja
Reprodução do Radar online, da Veja

Não é nenhuma surpresa Aécio Neves e Michel Temer estarem tão afinados e se falando a toda a hora. Ambos lutam para escapar da degola, o primeiro no Senado, o segundo na Câmara. E em ambos os casos PMDB e PSDB estão juntos e misturados, como aliás acontece desde o processo de impeachment de Dilma. Na época, inclusive, Aécio virou grande aliado de ocasião do então presidente da Câmara, Eduardo Cunha. É a versão mais moderna da mensagem de Cândido Vaccarezza para Sérgio Cabral: "Você é nosso e nós somos teus".

14/10/2017

17:19

A DELAÇÃO DE FUNARO

Mentiras de um inimigo declarado

Lúcio Funaro (no banco detrás) preso pela Polícia Federal
Lúcio Funaro (no banco detrás) preso pela Polícia Federal

Como já havia previsto, o doleiro Lúcio Funaro, na em sua delação premiada, iria tentar me envolver. Óbvio, sem provas.

Asssim como Cunha, Funaro tem ódio declarado por mim. Aliás, desde a prisão de Eduardo Cunha, seu melhor amigo e sócio venho afirmando: querem achar o caminho do dinheiro do CUNHA prendam o FUNARO.

Ele acabou sendo preso e fazendo uma delação seletiva, muitas verdades, muitas omissões e também vingança contra quem há muitos anos vem enfrentando seu maior aliado, CUNHA.

Desafio que além de palavras, o doleiro de Eduado Cunha e boa parte do PMDB apresente qualquer prova contra mim. Seja uma conta no exterior, algum depósito no Brasil, algum bem adquirido, qualquer situação que comprove suas palavras.

O fundo de pensão da CEDAE foi de fato comandado por Eduardo Cunha através de pessoas por ele indicadas e por funcionários indicados pelo sindicato há época controlado pelo PCdoB.

A Governadora Rosinha e muito menos eu, nunca tivemos nenhuma interferência nas decisões do fundo.

Quando as aplicações eram efetuadas e o fundo tinha total autonomia para fazê-las, a governadora não tomava nem ciência.

Se os fatos narrados pelo senhor FUNARO fossem verdadeiros em sua plenitude, diria o montante repassado a mim ou depositado durante os 4 anos (2002-2006) em que junto com Eduardo Cunha roubaram o dinheiro dos trabalhadores da CEDAE.

Essa é mais uma mentirinha do PMDB com medo da minha volta ao governo do estado para colocar o restante de sua quadrilha na cadeia onde atualmente está Sérgio Cabral.

14/10/2017

12:49

PMDB-RJ: Dias piores virão

Pezão, Eduardo Paes, Pedro Paulo, Picciani, Cabral, Paulo Melo e, ao fundo, um "expoente" da nova geração do PMDB-RJ, o despreparado e incompetente secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Gustavo Tutuca, um amigo de Piraí do atual governador
Pezão, Eduardo Paes, Pedro Paulo, Picciani, Cabral, Paulo Melo e, ao fundo, um "expoente" da nova geração do PMDB-RJ, o despreparado e incompetente secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Gustavo Tutuca, um amigo de Piraí do atual governador

O pior ainda está por vir para o PMDB do Rio de Janeiro. Mesmo em relação a Sérgio Cabral, o estoque de maracutaias praticadas no seu governo não se esgotou, faltam assunto cabeludos, como precatórios, saques em depósitos judiciais não recompostos, fraudes envolvendo seu braço-direito e mais antigo colaborador, Regis Fichtner, o esquema da publicidade, que em parte virá à tona com delação de Renato Pereira, dono da agência Prole, e ainda uma dezena de outras situações abrangendo outras áreas e personagens que ainda não figuraram no noticiário das investigações sobre o maior assalto aos cofres públicos da história do Rio de Janeiro.

Além disso, uma boa parte da corrupção do estado se estendeu à Prefeitura do Rio, na gestão de Eduardo Paes. A prisão de seu secretário de Obras, Alexandre Pinto, que comandou a pasta durante os oito anos em que o peemedebista esteve à frente da prefeitura, pelo que já se sabe das investigações até agora, atingirão de forma mortal o ex-prefeito Eduardo Paes.

Fora isso, é bom lembrar, que o secretário de Saúde da sua gestão, Hans Dohmann foi indicado por Sérgio Côrtes, hoje preso em Benfica, e foi seu companheiro na direção do INTO (Instituto de Traumatologia e Ortopedia), levando para a prefeitura os mesmos esquemas ilícitos que seu “padrinho” implantou no estado na era Cabral / Pezão.

Há também a mal explicada existência de duas contas no Panamá, abertas pela Mossack Fonseca, em nome do pai e da irmã de Eduardo Paes, com depósitos de US$ 8 milhões, sem explicação até hoje da origem do dinheiro.

Há ainda as obras olímpicas, que vão trazer uma enorme dor de cabeça a Paes. Ou o secretário de Obras fez tudo por sua livre e consciente vontade? Já se sabe, por exemplo, que a famosa “taxa de oxigênio”, implantada por Braguinha e Pezão no governo Cabral, era cobrada nas obras da Prefeitura do Rio, no governo Paes.

A delação de Renato Pereira não deixará qualquer dúvida sobre movimentações no exterior, inclusive com a revelação de novas contas, envolvendo Eduardo Paes e Pedro Paulo.

Mas o capítulo mais dramático para o PMDB do Rio é que o cerco em torno de Jorge Picciani está se fechando, muito menos pelo que já se sabe, como o recebimento de vantagens, por exemplo, da Fetranspor e outras artimanhas para lavar dinheiro, transformando-o em vacas, fazendas e empresas, do que aquilo que ainda virá à tona.

Finalmente será revelado nos próximos dias o calcanhar de Aquiles de Picciani. Confesso que eu mesmo fiquei surpreso. A situação é tão incontestável que acho difícil até o ardiloso Picciani esboçar qualquer tentativa de defesa. Usando uma expressão chula é “batom na cueca”.

Pezão é a bola da vez. As investigações sobre seus esquemas estão em ritmo acelerado. Todos os seus operadores já estão devidamente identificados. Quem pegava dinheiro com quem, a quem era entregue, e também é nítido para os investigadores que o esquema de Cabral se estende até agora no governo Pezão, se bem que, com muito menos dinheiro, já que o Estado quebrou.

14/10/2017

12:15

A covardia contra o ex-prefeito de São Fidélis, David Loureiro

.

14/10/2017

11:37

Aécio quer que Senado recorra ao STF por voto secreto que pode salvá-lo

Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247

A decisão da Justiça Federal do Distrito Federal não resolve a questão. A turma de Aécio quer que o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) acione o STF para decidir a sessão que vai votar o afastamento poderá ser secreta, o que facilitaria a vida do senador mineiro e preservaria a imagem de seus colegas que votem pela sua salvação. Sonham que os ministros do Supremo decidam não interferir na questão, deixando para a Mesa Diretora do Senado a definição do sistema de votação. Caso prospere esse plano de recorrer ao STF a votação sobre o destino de Aécio seria mais uma vez adiada. Vamos aguardar.

13/10/2017

15:06

Estado de emergência na saúde, decretado por Cabral, foi golpe para roubar

Reprodução do Diário do Poder
Reprodução do Diário do Poder

Na denúncia sobre a roubalheira na saúde estadual, onde Cabral, Sérgio Côrtes e o Rei Arthur, entre outros, viraram réu, o MPF sustenta que o decreto de emergência na saúde, assinado pelo ex-governador assim que tomou posse, não passou de uma jogada para facilitar o desvio de dinheiro público.

Na época eu disse que não fazia o menor sentido a decretação da emergência, afinal Rosinha deixou a área de saúde em boas condições. É claro que havia problemas, como é impossível não acontecer numa rede tão ampla e com tanta capilaridade, mas nada que, nem de perto justificasse o decreto. Tudo não passou de um embuste, que a mídia "comprou", para fazer contratos emergenciais sem licitação. É simples assim.

13/10/2017

12:57

Garotinho responde perguntas de seguidores do Facebook

13/10/2017

12:18

Armação para salvar Aécio Neves

Reprodução da Veja
Reprodução da Veja

Vale tudo para salvar Aécio Neves. Quando foi decidido o afastamento do senador Delcídio Amaral (ex-PT) a votação foi aberta. Agora o PMDB e o PSDB articulam mais um golpe. Com medo que o voto aberto deixe mal com a opinião pública os senadores que protegerem Aécio Neves, está sendo articulado que a votação seja secreta. Dessa forma ninguém saberia quem votou para salvar Aécio. Será mais uma vergonha, mas não duvido nada que o plano prospere.

PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ProximoUltimo