Visitantes online: 213
logo topo

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

15/05/2018

15:00

Delator da Lava-Jato é preso em ação contra tráfico de drogas

A Polícia Federal prendeu hoje oito pessoas na Operação Efeito Dominó, que visa combater a lavagem de dinheiro proveniente do tráfico internacional de drogas. Três doleiros, já investigados na Lava Jato e no caso Banestado, atuariam no esquema.

Um desses doleiros, também alvo da Lava Jato, Carlos Alexandre de Souza, o "Ceará", teria quebrado acordo de delação premiada.

Os agentes cumprem ao todo 26 mandados: 18 de busca e apreensão, cinco de prisão preventiva e três de prisão temporária. Os mandados são cumpridos no Rio de Janeiro, Pernambuco, Ceará, Paraíba, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e em São Paulo.
A Efeito Dominó é um desdobramento da Operação Spectrum, que desarticulou a quadrilha chefiada por Luiz Carlos da Rocha, o Cabeça Branca, um dos maiores traficantes internacionais de drogas da América do Sul com conexões em dezenas de países.

15/05/2018

11:58

Está no ar o Encontro Marcado com Garotinho

15/05/2018

11:18

Congresso segura verba para equipar PM

Reprodução Blog Lauro Jardim
Reprodução Blog Lauro Jardim

15/05/2018

09:02

TRF2 nega habeas corpus a filho de Picciani

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região negou, por maioria, o pedido de habeas corpus a Felipe Picciani, filho de Jorge Picciani.

Felipe Picciani foi preso preventivamente na Operação Cadeia Velha, desdobramento da Lava-Jato.

Sócio do pai na empresa Agrobilara, Felipe estaria envolvido no esquema de lavagem de dinheiro de propinas pagas a deputados da Alerj por empresários da área de transportes urbanos da capital fluminense.

De acordo com o Ministério Público Federal, a lavagem se daria através de negociação de gado por preços superfaturado.

14/05/2018

16:13

Milícia no Rio

Reprodução da coluna Berenice Seara
Reprodução da coluna Berenice Seara

14/05/2018

12:08

Está no ar o Encontro Marcado com Garotinho

14/05/2018

11:24

CBF rebatiza prédio-sede

Reprodução do Blog do Lauro Jardim
Reprodução do Blog do Lauro Jardim

14/05/2018

09:55

Romário na mira do COAF

Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247
Movimentações financeiras suspeitas e a manutenção do próprio patrimônio em nome de familiares colocaram o senador Romário (Podemos-RJ), pré-candidato ao governo do Rio, na mira do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Desde o ano passado, a Justiça do Rio está levantando os bens da família do pré-candidato a pedido de um credor. Em abril, um despacho judicial sustentou que ele e seus familiares “ocultam patrimônio e/ou dissimulam valores”. Em fevereiro, reportagem do jornal O Globo deu detalhes da apuração: revelou que o senador tinha omitido de sua declaração de bens dois apartamentos e uma casa na Barra da Tijuca avaliados em R$ 9,6 milhões. Agora, a Justiça rastreou e acaba de penhorar uma lancha de Romário, avaliada em R$ 1,8 milhão.

13/05/2018

19:43

Feliz Dia das Mães

Minha amada mãezinha, Samira, ao lado de Rosinha, mãe dos meus filhos e amor da minha vida.
Minha amada mãezinha, Samira, ao lado de Rosinha, mãe dos meus filhos e amor da minha vida.
Escolhi esse poema de DRUMMOND para lembrar o Dia da Mães pois tenho fé que, se pudesse, esse seria o desejo de todos os filhos.



PARA SEMPRE

Por que Deus permite
Que as mães vão embora?
Mãe não tem limite
é tempo sem hora,
luz que não se apaga
quando sopra o vento
e a chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.
Morrer acontece
como o que é breve passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu rei do Mundo
baixava uma lei:
MÃE NÃO MORRE NUNCA,
mãe ficará para sempre
Junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

12/05/2018

05:23

UM GRITO POR JUSTIÇA

No ano passado recebi áudio de um agente penitenciário me alertando que o ex governador Sergio Cabral, ainda aquela época preso em Benfica, vinha dando declarações que desejava me ver morto. Meu advogado protocolou no gabinete Civil do Palácio Guanabara pedido de proteção policial. Fizemos notícia do fato ao Procurador Geral do Ministério Público e, ingressamos na Justiça Estadual(Vara de Fazenda Pública) onde a juíza, diante da gravidade dos fatos, informou que encaminharia o caso ao novo Interventor da Segurança Pública do Estado. Tudo até agora sem solução.

Poucos dias antes de ser transferido para Curitiba o ex-governador Sérgio Cabral contactou um preso do mesmo estabelecimento prisional, onde se encontrava, oferecendo 10 milhões de reais para que eu fosse "eliminado", morto.

O fato foi comunicado pelo advogado do preso ao meu advogado, Dr. Carlos Azeredo, que comunicou o fato a membros do Ministério Público Estadual que teve confirmação da oferta do ex-governador Sérgio Cabral ao preso para me "eliminar" por vingança das denúncias que fiz contra ele e grande parte da sua quadrilha, hoje denunciada, condenada e presa pela Justiça Federal.

Desde que comecei as denúncias da roubalheira no Estado do Rio venho sofrendo todo tipo de humilhações que um ser humano pode passar. Fui 3 vezes preso injustamente. Fui torturado no mesmo local onde se encontrava parte da "Gangue dos Guardanapos" e minha defesa tem se tornado um calvário devido a aliados de Sérgio Cabral no judiciário do Rio de Janeiro. Tudo que estou dizendo aqui pode ser comprovado por documentos, testemunhas e os próprios fatos que falam por si próprios. Não fossem as instâncias superiores da justiça brasileira eu estaria refém dos bandidos que denunciei e que tem braços longos em outros poderes do nosso Estado.

Neste momento lanço um grito por justiça, pela minha vida e de minha família ou será necessário mais um cadáver para que algumas autoridades tomem providências?

Obs: nos últimos 4 dias tive que suspender minha agenda devido a uma forte indisposição, mas daqui a pouquinho, estaremos juntos no programa na Rádio Tupi.

 ANTHONY GAROTINHO

11/05/2018

15:48

PF pede mais prazo para investigar Temer

A Polícia Federal pediu ao Supremo Tribunal Federal mais 60 dias de prazo para concluir as investigações do inquérito que apura se o presidente Michel Temer cometeu crime de obstrução à justiça, corrupção passiva e participação em organização criminosa. No último dia 30, o relator da Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, tinha dado dez dias para o encerramento das investigações. Se for concedido mais tempo aos policiais, ainda assim a Procuradoria-Geral da República pode apresentar denúncia contra o presidente na próxima semana, como é esperado.

O prazo extra poderá ser usado para a PF concluir a perícia no áudio da conversa que o dono da JBS, Joesley Batista, gravou com o presidente. Em 22 de maio, a polícia informou ao STF que precisava de até 30 dias para concluir a análise. A perícia ainda não foi concluída. No caso dos áudios do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), que é investigado no mesmo inquérito, o prazo inicial era de até 60 dias.



11/05/2018

12:36

Violência no Rio

Reprodução da coluna da Berenice Seara
Reprodução da coluna da Berenice Seara
Oito representantes do Parlamento do Mercosul estavam prontos para uma visita ao Museu da Maré e ao Vidigal, quando receberam ordens para cancelar a agenda.

A Polícia Legislativa Federal e as forças de Segurança do Rio identificaram aumento do nível de risco em comunidades, após conflitos na Rocinha. E não queriam um incidente diplomático.

Os parlamentares estão no Brasil para verificar o cumprimento dos Direitos Humanos por aqui. Certamente, tiveram uma ideia precisa de como vão as coisas.

11/05/2018

09:35

Desculpa esfarrapada

Reprodução do Radar online
Reprodução do Radar online

10/05/2018

15:30

Maioria da Segunda Turma do STF rejeita liberdade a Lula

A maioria dos ministros da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) já votou contra conceder liberdade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde o mês passado. O ministro Celso de Mello tem até esta sexta para se manifestar no plenário virtual, ambiente em que os ministros votam remotamente.

Se Celso de Mello fizer um pedido de vista, o caso passa a ser discutido pelos ministros de forma presencial. Caso o ministro não apresente seu voto até o fim do prazo, é considerado que ele seguiu o relator, o ministro Edson Fachin, contrário a aceitação do pedido de Lula.

Dos outros três ministros que votaram, todos seguiram o voto do relator pela rejeição do pedido. Nesta quarta, o ministro Ricardo Lewandowski seguiu o ministro Fachin com ressalvas. Antes, os ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes já haviam votado contra o recurso.

Os advogados pedem que Lula possa aguardar em liberdade até o fim dos recursos judiciais possíveis.


10/05/2018

12:19

MP-RJ MOVE AÇÃO CONTRA EDUARDO PAES

O ex-prefeito do Rio Eduardo Paes é alvo de ação civil pública movida pelo Ministério Público fluminense. Paes e três ex-secretários cancelaram ilegalmente empenhos que totalizam R$ 1.448.080.185,74.

O promotor Alberto Camargo explicou que os empenhos citados na ação são referentes a despesas rotineiras e serviços prestados durante a gestão de Paes e previstos para serem quitados no governo seguinte.

No entanto, ainda em dezembro, todos os pagamentos, que não estavam inscritos nos restos a pagar do município, foram cancelados através de uma senha criada, sem qualquer identificação de funcionários.

Na ação, o MP pede à Justiça que Carlos Evandro Viegas - ex-Subsecretário de Orçamento, respondendo pela Secretaria de Fazenda do Município do Rio de Janeiro à época dos fatos; Antônio Cesar Lins Cavalcanti - ex-Controlador Geral do Município do Rio e Fábio Pimentel de Carvalho - ex-Presidente do Iplan-Rio, arquem com o ressarcimento integral dos danos causados ao patrimônio público.

10/05/2018

09:33

TRF-4 condena mulher de cunha em 2ª instância

Dois dos três desembargadores da Oitava Turma do TRF-4 votaram, nesta quarta-feira, por condenar a jornalista Cláudia Cruz, mulher do ex-deputado Eduardo Cunha, no julgamento de um processo da Operação Lava Jato.

João Pedro Gebran Neto votou por condenar Cláudia por evasão de divisas, e Leandro Paulsen, por evasão de divisas e lavagem de dinheiro. O julgamento foi interrompido por um pedido de vista de Victor Laus e não tem data para ser retomado.

Cláudia Cruz é acusada de ter usado e escondido no exterior dinheiro obtido por Eduardo Cunha em esquemas de corrupção. Na primeira instância, Moro absolveu a jornalista dizendo que não havia provas suficientes de que ela cometeu os crimes de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.