Visitantes online: 1
logo topo

domingo, 22 de setembro de 2019

26/02/2018

14:41

Henrique Meirelles é candidatíssimo

Na última pesquisa presidencial, divulgada pelo Datafolha em 31 de janeiro, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles apareceu com 2% das intenções de voto. É muito pouco. Se a economia estivesse indo de vento em popa, Meirelles teria uma resultado mais expressivo. Mas a economia avançou muito pouco ou quase nada, e até meio do ano os brasileiros não terão a percepção de melhora significativa. Logo, se crescer nas pesquisas, será muito pouco, ainda mais que a principal bandeira do governo deixou de ser a economia e passou para a segurança pública.

Mas Meirelles continua sonhando em disputar a presidência, e como candidato oficial do governo. Por isso está fazendo um tour todas as semanas por igrejas evangélicas, além de fazer postagens nas redes sociais para se promover. Mas tá difícil!

26/02/2018

13:11

Garotinho reúne grupo político em Campos e no Rio de Janeiro

Garotinho discursa na reunião política deste final de semana, em São Fidélis (Foto de Gerson Gomes)
Garotinho discursa na reunião política deste final de semana, em São Fidélis (Foto de Gerson Gomes)
Hoje (segunda) estou em Campos e às 18 horas nosso grupo político vai se reunir no Clube Rio Branco. Vamos discutir a mobilização "Fora Rafael Diniz!". O povo de Campos quer a reabertura do Restaurante Popular, o pagamento dos RPAs, remédios nos postos e hospitais, a volta do Cheque Cidadão, limpeza pública eficiente e muito mais. Está chegando a hora de nos livrarmos do prefeito Rafael Diniz. Chame seus amigos, vizinhos e colegas de trabalho. Vamos multiplicar nossas forças para lutarmos por Campos.

E atenção, Rio de Janeiro!

A reunião do nosso grupo político está confirmada para quarta-feira (28/02), às 14 horas, no Clube Municipal, na Tijuca, local dos últimos encontros.


Vamos debater o caminho partidário e a proposta para reconstruir o nosso estado, arrasado pelo MDB, antigo PMDB) e seus aliados.

É muito importante a presença dos pré-candidatos, militantes e simpatizantes.

Vamos começar a devolver o nosso estado a seu povo.

26/02/2018

10:02

A boa vida do milionário foragido Rei Arthur

Reprodução do blog de Lauro Jardim
Reprodução do blog de Lauro Jardim
Foragido para os Estados Unidos, o Rei Arthur continua levando vida de milionário. De todos os integrantes da quadrilha de Sérgio Cabral foi o que ganhou mais dinheiro. Só em contratos com os governos Cabral e Pezão faturou mais de R$ 3 bilhões, fora os negócios com a Prefeitura do Rio, na gestão de Eduardo Paes e com outros municípios fluminenses comandados pelo PMDB, agora MDB. Por enquanto deve estar rindo do destino dos comparsas.

24/02/2018

13:39

Adriana Ancelmo: Ah, coitada!

A mulher de Sérgio Cabral vai continuar cumprindo prisão domiciliar, mas em novo endereço. Com autorização do juiz Marcelo Bretas, Adriana Ancelmo está deixando o prédio do Leblon, onde a família Cabral ocupava dois andares e se mudando para a Lagoa, bairro logo ao lado, também endereço nobre. Ela diz que a família está reorganizando sua vida financeira já que as propinas secaram.

Sua defesa diz que ela vai morar no apartamento dos enteados, no caso os filhos do primeiro casamento de Sérgio Cabral. Vale lembrar que no prédio para onde está se mudando os apartamentos estão avaliados em R$ 3 milhões, menos a cobertura duplex, que vale mais, por aí uns R$ 5 milhões. Vida dura! Ah, coitada!

Em tempo: O STJ deve retomar na próxima semana o pedido do MPF para que Adriana volte para o presídio. A ministra-relatora Maria Thereza de Assis já deu o voto favorável à ida para o presídio, mas um dos ministros, Sebastião Reis, pediu vistas do processo, adiando o julgamento.

24/02/2018

12:04

Pedágio tucano

Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247
Adir Assad comandava a "lavanderia" da Delta, de Fernando Cavendish, mas também operava para várias outras empreiteiras. Na sua delação contou que os as concessionárias de rodovias paulistas pagavam "pedágio" ao PSDB nas gestões de José Serra e Geraldo Alkmin. Tudo era repassado a Paulo Preto, o dono de quatro contas na Suíça, onde foram depositados R$ 113 milhões. É mais uma complicação para Alkmin, não é à toa que Fernando Henrique Cardoso vinha insistindo na candidatura de Luciano Huck. FHC sabe a tempestade que atingirá o atual governador de S.Paulo.

24/02/2018

09:44

A força de Lula

Reprodução da Folha de S.Paulo
Reprodução da Folha de S.Paulo
Se Lula poderá ou não ser candidato só o tempo dirá. A situação está desfavorável, mas não é impossível. Os bancos e o mercado financeiro estão exultantes com a possibilidade de Lula não poder se candidatar. Mas não subestimem a força do ex-presidente, sendo ou não candidato. Mesmo que não possa disputar ele vai influenciar muito o resultado da eleição. Sua capacidade de transferir votos, por mais que não seja a mesma de tempos atrás, não pode ser subestimada, gostem ou não dele. E faço um alerta àqueles que torcem pela prisão dele. Preso e usando o discurso da perseguição política, Lula pode transferir tantos ou ainda mais votos.

23/02/2018

22:07

Bate-papo ao vivo com Garotinho

23/02/2018

17:00

Trinca de cartas marcadas

Michel Temer, Raul Jungmann e Moreira Franco
Michel Temer, Raul Jungmann e Moreira Franco
Acreditem se quiserem, mas tem gente do MDB, próxima ao presidente Michel Temer, que já divaga sobre o eventual sucesso da intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro. No melhor dos sonhos dessa gente poderia ser construída uma trinca do barulho na eleição. Michel Temer para presidente e, no Rio de Janeiro, Raul Jungmann para governador, teria que trocar de partido (atualmente está no PPS) e mudar o domicílio eleitoral de Pernambuco para cá; e Rodrigo Maia (DEM) numa das vagas para o Senado. Esquecem, entre outras coisas, que Cesar Maia, pai de Rodrigo, quer disputar o governo ou ir para o Senado. Mas sonhar, ou melhor, delirar, não custa nada.

23/02/2018

14:11

Orlando Diniz: Cai mais um do esquema de sustentação do MDB-RJ

Orlando Diniz preso pela Polícia Federal; abaixo com Sérgio Cabral e Pezão
Orlando Diniz preso pela Polícia Federal; abaixo com Sérgio Cabral e Pezão
Custou, mas aconteceu o que já era esperado há algum tempo: a prisão do presidente afastado da Fecomércio-RJ, Orlando Diniz, denunciado à muito tempo aqui no blog. Seus pecados vão muito além de pagar com dinheiro da entidade a chefe de cozinha do Palácio Laranjeiras, Ana Rita Menegaz, que atendia o casal Sérgio Cabral - Adriana Ancelmo e família.

Há meses tive acesso a um relatório da auditoria feita na gestão de Orlando Diniz, a pedido da Confederação Nacional do Comércio. Muita coisa chama a atenção, é um verdadeiro festival de irregularidades. Vamos destacar apenas algumas.

Segundo os auditores, o Senac-RJ gastou R$ 90 milhões em sua missão institucional (educação profissional). Em compensação gastou R$ 75 milhões em publicidade e eventos. O maior patrocínio adivinhem de quem é? RJ TV, principal telejornal local da TVGlobo.

Também chama a atenção dos auditores o gasto com palestras sem licitação, e fora dos objetivos da entidade. Foram R$ 3 milhões a jornalistas, comentaristas e analistas, 95% deles ligados às Organizações Globo. Merval Pereira, colunista do Globo e porta-voz da família Marinho, recebeu, por exemplo, R$ 375 mil por palestras. Cristiana Lobo, comentarista política da GloboNews recebeu R$ 330 mil. Aliás, a lista dos "globais" é extensa.

Outro ponto que os investigadores estranharam foi o pagamento a escritórios de advocacia. Só sua vizinha Adriana Ancelmo, moradora do mesmo prédio de Orlando Diniz no Leblon, "a melhor advogada do Brasil", segundo Sérgio Cabral, recebeu R$ 20 milhões. Mas há gente graúda, muito poderosa no meio jurídico que vai se enrolar a fundo nessas investigações.

A Globo certamente não vai falar dos seus jornalistas e comentaristas e vai preferir centrar fogo nas ligações de Diniz com Cabral, que aliás, diga-se de passagem, tornaram-se mais estreitas por intermédio do atual vice-governador Francisco Dornelles, de quem Diniz sempre foi grande amigo.

Além disso, Orlando Diniz "empregava" um séquito de Sérgio Cabral, todos ganhavam salário, mas não trabalhavam: uma irmã de Wilson Carlos (ex-secretário estadual de Governo); a mãe e a mulher de Carlos Miranda, o Avestruz (acusado de colher a propina de Cabral); a mulher de Ari Ferreira da Costa Filho, o Arizinho (outro operador de Cabral); a mulher de Sérgio de Castro Oliveira, o Serjão (ex-assessor pessoal de Cabral); e Sônia Ferreira Baptista (ex-governanta da família Cabral), além, claro da chefe de cozinha Ana Rita Menegaz.

Orlando Diniz já tinha sido afastado da Fecomércio-RJ uma vez, mas reverteram a decisão judicial e voltou à frente da entidade milionária. Foi afastado a segunda vez no final do ano passado, assumindo um interventor.

O mundo político, jurídico e publicitário está em polvorosa. Agem rapidamente para tentar por em liberdade Orlando Diniz. Se ele ficar preso muito tempo e resolver falar vai sobrar para muita gente grande do andar de cima. Embora tenha sido preso numa operação que está ligada a Sérgio Cabral, neste caso pode acontecer o famoso ditado popular: "Atiraram no que viram e acertaram no que vai aparecer".

Em tempo: É grande a tensão no Palácio Guanabara. Tem-se como certo que o atual governador Pezão é a bola da vez da Lava Jato.

23/02/2018

12:33

Agradecimento

Reprodução do Facebook
Reprodução do Facebook

23/02/2018

11:01

Como será a intervenção na segurança pública do Rio?

Charge de Amarildo
Charge de Amarildo
Charge de Aroeira
Charge de Aroeira

Charge de Piovan
Charge de Piovan


Por enquanto são muitas especulações e poucas informações. Oficialmente se sabe que só na próxima semana será anunciado plano de ação. Por enquanto está sendo feito o diagnóstico dos problemas e o planejamento do que vai acontecer.

Que há objetivos eleitorais por detrás não resta qualquer dúvida. Mas para o plano eleitoral de Temer dar certo vai ser preciso bem mais que pirotecnia ou operações cinematográficas. Por isso há uma expectativa de que alguma coisa de positivo aconteça na segurança pública, ainda que o caminho ideal não seja a intervenção, como já me posicionei aqui no blog. Mas temos que aguardar.

22/02/2018

18:28

Os milhões desviados pelo esquema dos tucanos de São Paulo

Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247
Paulo Preto é um conhecido operador do tucanato paulistano. Em 2016 tinha R$ 113 milhões em quatro contas na Suíça. Mas com a Lava Jato a pleno vapor no início de 2017 transferiu a dinheirama para as Bahamas. Paulo Preto comandou a DERSA (estatal que cuida das rodovias do Estado de São Paulo) no governo José Serra, a quem é mais ligado. Mas também tem ligações com o atual ministro das Relações Exteriores, o senador licenciado Aloysio Nunes Ferreira. E colaborou na arrecadação de campanhas do governador Geraldo Alckmin.

Constatações óbvias:

1º Todo mundo sabe que esses R$ 113 milhões não são só dele.

2º Se falar implode o PSDB de São Paulo, lembrando que o grupo de Minas Gerais já explodiu com o escândalo de corrupção de Aécio Neves.

3º O governador Geraldo Alckmin, que já rateia nas pesquisas, deve estar arrancando os cabelos que lhe restam.

Só espero que esse escândalo tucano seja investigado com o mesmo empenho com que investigam o ex-presidente Lula.

22/02/2018

15:17

Garotinho recebe alta e volta para casa

Reprodução do Facebook
Reprodução do Facebook
Foi apenas um mal-estar e um susto. Garotinho já saiu do Hospital Quinta D'Or (vejam postagem abaixo) e foi para casa. Garotinho e Rosinha agradecem todas as mensagens e orações.

22/02/2018

12:40

Depois de passar mal, Garotinho está realizando exames no Hospital Quinta D’Or

Garotinho passou mal ontem à noite, com dores no peito. Foi levado por Rosinha para o Hospital Quinta D’Or, onde passou a noite bem, sendo monitorado.

Neste momento Garotinho está realizando um exame, mas os médicos, a princípio, estão descartando infarto.

Somente após o exame se saberá que Garotinho será liberado ou terá que permanecer internado.

O Hospital Quinta D’Or vai divulgar daqui a pouco uma nota oficial sobre o estado de Garotinho, que está sendo acompanhado por Rosinha.

Em 2016, ele foi submetido a um cateterismo e teve que implantar um stent, logo após ter sido retirado à força pela Polícia Federal da emergência do Hospital Souza Aguiar, por ordem do juiz de Campos, Glaucenir Oliveira.

22/02/2018

11:03

Rio de Janeiro ainda vai sofrer muito até o final de 2018

Pezão está cassado no TRE, mas o seu recurso no TSE não tem previsão de julgamento. As investigações da Lava Jato envolvem instância superior (STJ) e seguem lentas. O regime de recuperação fiscal criou a figura do Conselho de Supervisão que tem três membros representantes do governo estadual, do Ministério da Fazenda e do Tribunal de Contas da União. Cabe a eles autorizar medidas finaceiras, ou seja, na prática Pezão já não tem autonomia sobre a Fazenda.E a Segurança Pública está sob intervenção. Além disso perdeu a base sólida de apoio na Alerj, hoje frágil e volúvel.

Na prática é um "morto vivo" no Palácio Guanabara.

Enquete feita pelo blog do jornalista Ricardo Noblat, embora não seja um retrato fiel (científico) do que pensa a população fluminense, revela o que os formadores de opinião acham sobre o que deveria acontecer com Pezão.

O que você acha que deveria acontecer com Pezão?


13% – Que cumpra seu mandato

24% – Que seja derrubado

53% – Que renuncie

10% – Não sei


Traduzindo: 66% (dois terços) acham que Pezão tem que sair por bem ou por mal. Intervenção geral, afastando o governador, era o que o governo federal deveria ter feito se o objetivo primordial fosse cuidar do Rio de Janeiro, em vez de priorizar a imagem eleitoral de Michel Temer.

Não foi feito, assim só nos resta contar os dias até Pezão ir embora, ou pelo menos esperar outubro quando acontecerá a eleição que escolherá o futuro governador. A partir daí, dependendo do resultado eleitoral, poderemos voltar a ter esperanças de dias melhores.

Em tempo: Alguns devem pensar que o STJ pode afastar Pezão no âmbito da Lava Jato. Sim, não é impossível, mas nessa hipótese assumiria o vice Francisco Dornelles. Aqui para nós não melhoraria nada.

21/02/2018

17:34

Mais um delírio no Palácio do Planalto

Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247
O governo não corta gastos como deveria, abriu mão de bilhões em perdões de dívidas para abafar os inquéritos contra Michel Temer, só faltava agora querer criar um novo imposto para financiar a segurança pública. A resposta do presidente da Câmara, Rodrigo Maia está corretíssima, ainda que a gente saiba que é uma reação ao fato de ter sido passado para trás por Temer no episódio da intervenção na segurança do Rio de Janeiro. A reação pode vir do fígado, mas mesmo por via transversa é o que recomenda a razão. E sem o apoio de Maia, o Palácio do Planalto guardou o projeto do novo imposto na gaveta, nem ousou lançá-lo ao vento para sentir a reação da base aliada.