Visitantes online: 153
logo topo

terça-feira, 22 de setembro de 2020

01/10/2019

12:59

PF faz buscas em 68 endereços na 4ª fase da Operação Carne Fraca

REPRODUÇÃO DA TRIBUNA NF
REPRODUÇÃO DA TRIBUNA NF

30/09/2019

21:56

Falei isso há 6 anos... Ouçam até o final!

26/09/2019

16:36

Cabral vai delatar mesada a magistrados

Quem acompanha de perto a conversa de Sergio Cabral com a Polícia Federal diz que o ex-governador ainda tem laços frágeis para um acordo de delação.

Há, no momento, um pré-acordo, que deve ser reavaliado em até 30 dias, o que torna a possibilidade de uma delação algo não oficial.

Tudo indica que a “hora da verdade” para Cabral será em meados de outubro.

A cartada de Cabral é mesmo o Judiciário e um possível esquema de mesada a magistrados alimentado por seu governo.

Fonte: Radar online - Veja

25/09/2019

09:17

Em nota, ABI se solidariza com Siro Darlan

Reprodução do site Agenda do Poder
Reprodução do site Agenda do Poder

24/09/2019

22:13

Ação contra Darlan e inércia com Moro são sinal de Estado de exceção, diz associação

Reprodução do site Consultor Jurídico
Reprodução do site Consultor Jurídico

19/09/2019

12:45

Pra relembrar: Garotinho rasga jornal O Globo na tribuna da Câmara

17/09/2019

18:00

TRE rejeita ação de Rafael Diniz contra casal Garotinho

REPRODUÇÃO DA TRIBUNA NF
REPRODUÇÃO DA TRIBUNA NF

15/09/2019

18:00

Rodrigo Maia: “O caso do Garotinho é um caso claro de influência política”

14/09/2019

12:44

A Globo e a Gangue dos Guardanapos

A GloboNews apresentou na semana passada um documentário sobre as farras e fraudes de Cabral. Nenhuma palavra sobre quem divulgou mais de 100 fotos ao mundo. Nenhuma palavra sobre quem denunciou a quadrilha ao MPF em Brasília.
Sabem por que?
Nas minhas reportagens provei que a Globo também estava se beneficiando da roubalheira e ganhando muito dinheiro para proteger a Gangue dos Guardanapos.


Assista à reportagem clicando aqui!

11/09/2019

22:26

Rosinha esclarece fatos importantes

11/09/2019

21:31

DISCURSO DA DEPUTADA CLARISSA GAROTINHO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS

11/09/2019

17:30

INJUSTIÇA CONTRA ROSINHA

Ontem, o TSE julgou casos da eleição de 2012 em Campos. Em primeiro lugar, para mostrar a injustiça cometida contra Rosinha, foram juntados 3 processos em 1.
Isso é absolutamente ilegal,e os casos deveriam ser tratados separadante,pois ao longo de 8 anos de mandato,juntar atos que ocorreram em ocasiões distantes fere o principio da ampla defesa e da individualização das condutas.
O placar foi 4x3 pois não existe na lei eleitoral o que foi decidido.
Ainda assim vamos aos fatos.
O primeiro referente a polêmica da pintura de 15 postes (Campos tem mais de 58 mil postes) na cor roxo paixão, que a Folha da Manhã e seus jornalistas, hoje ocupantes de cargos no governo Rafael Diniz, apelidaram de rosácea. O segundo, sobre a contratação de funcionários pelo REDA, o que ocorreu comprovadamente fora do período eleitoral. O terceiro, sobre matérias jornalísticas publicadas pelos jornais “O Dia” e “O Diário” e retiradas do site oficial do município sobre ações da prefeitura, publicações que sequer citaram o nome da prefeita. Alguns desses processos chegaram a ter sentenças favoráveis, no entanto, em Brasília resolveram julgar pelo que chamam de conjunto da obra, reunindo, a nosso ver indevidamente, processos que apuravam fatos ocorridos em épocas diferentes para condenar Rosinha. Apesar do respeito que temos ao TSE, discordamos veementemente dessa decisão e nossos advogados vão recorrer ao Supremo para reparar esse julgamento.

09/09/2019

22:35

GAROTINHO AO VIVO NO FACEBOOK

09/09/2019

17:07

Para relembrar!

Esse vídeo explica o motivo das prisões e perseguições. São 95 casos de corrupção COMPROVADOS e DOCUMENTADOS envolvendo Sérgio Cabral, entre outros políticos e outras autoridades.

08/09/2019

13:31

Desembargador Siro Darlan: “Vivemos tempos sombrios, grilhões se ouvem como aplausos”

Ao conceder um habeas corpus para substituir a prisão preventiva dos ex-governadores Garotinho e Rosinha por medidas cautelares, o desembargador Siro Darlan, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, criticou o uso exacerbado das delações premiadas, a figura do “juiz acusador”, e ainda lamentou que o sistema judiciário seja utilizado para agradar a opinião pública.

Darlan concedeu o HC ao casal Garotinho no final do dia 3 de setembro, durante o plantão judiciário. O desembargador explicou no despacho que os autos só chegaram à sua mesa no final do expediente porque a defesa dos ex-governadores teve obstáculos para acessar os autos do processo que guarda o pedido de prisão do Ministério Público.

A decisão de Darlan foi trocar a prisão preventiva por medidas cautelares: proibição de deixar o País e restrições à comunicação, além de obrigação de se apresentar à Justiça e comprovar endereço fixo todo os meses.

Segundo Darlan, quando o juiz de piso optou pela prisão em vez de medidas cautelares, ele passou a mensagem de que a “prisão é a única idônea, necessária e proporcional [medida] ao fim pretendido”.

“Me permita a retórica: qual é o fim pretendido?”, questionou o desembargador. Seria o de “juiz acusador”, “afirmando que qualquer outra medida cautelar soaria como quimera”, acrescentou.

“(…) Realmente vivemos tempos sombrios, os grilhões se ouvem como aplausos a operações ‘holofóticas’, porém de embasamento jurídico questionável”, disparou Darlan.

Na decisão, ele ainda fez críticas, citando o jurista Guilherme Nucci, sobre a espetacularização do Judiciário, com juízes que tentam chamar a chamar atenção da opinião vazando informações e comprometendo o direito à presunção de inocência dos investigados.

“Hoje, quando um juiz emite um mandado de prisão, a equipe de reportagem está no local da prisão antes mesmo que os próprios agentes policiais. ‘Direito não é teatro ou novela que tenha que dar ibope. Direito e Justiça são coisas muito sérias, que envolvem vidas de pessoas humanas. Não pode ficar ao critério das massas’, asseverou Nucci.”

O desembargador também citou artigo de Luis Nassif, editor-chefe do GGN, que trata do histórico de perseguição política com uso do aparato judiciário (lawfare) ao ex-governador Garotinho. Leia aqui.

Quanto ao mérito do HC, o desembargador apontou que o juiz de piso e o MP usaram fatos de mais de 10 anos atrás, “uma total ausência de contemporaneidade”, para sustentar uma prisão para não comprometer a busca de provas.

“As quinze páginas que o magistrado de piso fundamenta o decreto prisional quando vistas sob a ótica da técnica jurídica mais apurada se revelam vazias de conteúdo e
compostas de jargões a justificar o decreto prisional sem qualquer necessidade para tal”, avaliou Darlan.

Por fim, o desembargador ressalta que “não se nega, na espécie, a gravidade das condutas imputadas ao paciente. Nada obstante, por mais graves e reprováveis que sejam as condutas supostamente perpetradas, isso não justifica, por si só, a decretação da prisão cautelar.”

Rosinha e Garotinho foram presos em investigação envolvendo delação da Odebrecht. Dois ex-executivos da empreiteira afirmaram que a construtora foi privilegiada em licitação para construção de mais de 10 mil moradias e que os contratos teriam sido superfaturados em R$ 50 milhões. A defesa do casal afirma que não há provas e que, ao contrário do que dizem os delatores, a Odebrecht saiu prejudicada dessa obra, tanto que disputa na Justiça o recebimento de valores devidos.

Citando o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, o desembargador ainda acrescentou na decisão: “(…) não entendo como alguém possa ser colocado no xilindró provisoriamente e mantido nesse xilindró até chegar à delação premiada. Alguma coisa errada tem.”


REPRODUÇÃO DO SITE GGN

07/09/2019

22:23

Veja e tire suas conclusões...

Cientista político Teófilo Rodrigues lembra que "Rosinha era prefeita no momento em que a Odebrecht teria feito as obras do Morar Feliz, que seriam SUPOSTAMENTE superfaturadas." Mas, ainda segundo ele, "HÁ UMA CERTA CONTRADIÇÃO NISSO, PORQUE A PRÓPRIA ODEBRECHT ESTÁ NA JUSTIÇA CONTRA A PREFEITURA DE CAMPOS DIZENDO QUE TEVE PREJUÍZO NA OBRA.""