Visitantes online: 1388
logo topo

quarta-feira, 26 de julho de 2017

04/07/2017

07:51

Corrida para delações premiadas

Prédio da PGR em Brasília
Prédio da PGR em Brasília

O Procurador Geral da República, Rodrigo Janot afirmou em palestra que "enquanto houver bambu, terá flecha", numa referência a que não vai aliviar na Lava Jato, mesmo com as decisões da semana passada relativas a Aécio Neves e Rodrigo Rocha Loures. Janot vai se empenhar agora nas denúncias contra Michel Temer e nas delações da Lava Jato.

Janot passará o cargo para a procuradora Raquel Dodge, escolhida por Michel Temer, no dia 17 de setembro. Portanto levando em consideração que os últimos dias sejam de despedidas e de transição, na prática Janot terá julho e agosto para se dedicar aos processos mais polêmicos.

A iminente saída de Rodrigo Janot e a natural expectativa sobre a postura da futura Procuradora Geral da República devem servir de incentivo para que vários empresários corram para tentar negociar uma delação premiada. Afinal, ninguém sabe se depois vai ficar mais fácil ou mais difícil na gestão de Raquel Dodge. Na dúvida, podem apostar, muita gente vai correr para Janot.

03/07/2017

19:10

Jorge Picciani oficializa licença, mas vai continuar dando as cartas na ALERJ

Reprodução do blog Extra, Extra!
Reprodução do blog Extra, Extra!

Com todo o respeito, mas Picciani oficialmente na presidência da ALERJ ou licenciado dá no mesmo. Ele só não está tocando o varejo, mas em todas as questões políticas quem manda é ele, estando na Assembleia ou falando pelo telefone. A Casa estando presidida por Wagner Montes (1º vice) ou por André Ceciliano (2º vice), nenhum deles vai desafiar o poderoso "coronel" Picciani.

Aliás, é para rir o recado de Jorge Picciani dizendo que não tem um único indicado em cargo do governo Pezão, só se alguém usou o nome dele sem autorização. Então tá! Conta outra que essa foi boa!

03/07/2017

18:15

Mais um "homem de confiança" de Temer vai preso

Reprodução da Folha de S.Paulo
Reprodução da Folha de S.Paulo

A Polícia Federal prendeu o ex-ministro Geddel Vieira Lima, um dos mais próximos aliados do presidente Michel Temer. O mandado de prisão é do juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília a pedido do Ministério Público Federal e da própria Polícia Federal. Geddel é acusado de tentar impedir eventual acordo de delação premiada do ex-deputado Eduardo Cunha e do operador financeiro Lúcio Bolonha Funaro, ambos presos. Ele foi preso em Salvador e vai ser transferido para Brasília. Aliás, Geddel também sempre foi próximo de Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves, ambos já presos pela Lava Jato. Há pouco tempo Geddel, sabendo que sua prisão era iminente, entregou seu passaporte e ofereceu a quebra de seus sigilos bancário e fiscal numa tentativa de evitar ser preso, mas não adiantou.


03/07/2017

17:13

Depois da "máfia" dos ônibus falta o Rei Arthur e a delação de Fernando Cavendish

Fernando Cavendish e o Rei Arthur
Fernando Cavendish e o Rei Arthur

É claro que faltam vários outros empresários de médio para grande porte terem suas maracutaias serem reveladas dentro do esquema de Sérgio Cabral. Mas esses dois, Fernando Cavendish, da Delta e Arthur César de Menezes Soares Filho, o Rei Arthur, do grupo Facility, que mudou o nome para Prol. Os dois são tubarões que ganharam bilhões do governo Cabral. No caso de Cavendish ninguém sabe o que está acontecendo. Ele foi preso no Galeão, vindo da Europa, no dia 2 de julho do ano passado. Desde 16 de agosto, portanto há quase 11 meses, cumpre prisão domiciliar enquanto faz delação premiada. Só ninguém explica por que, após 11 meses, nada de delação. É muito estranho. E o Rei Arthur, por tudo o que já foi descoberto e revelado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal também está demorando a receber a visita da Lava Jato.

03/07/2017

16:28

Fazendo fortuna com o sofrimento do povo

A revelação que, além de uma propina mensal, Cabral tinha um "prêmio" sempre que a tarifa de ônibus era reajustada, é uma bofetada na cara do povo, principalmente os mais pobres.

O agora presidiário Sérgio Cabral não se contentou em roubar para enriquecer. Suas irresponsabilidades deixaram os funcionários sem salários, escolas e hospitais sucateados, a segurança destruída e agora sabe-se que ainda recebia prêmio pelo sofrimento dos mais pobres.

Canalha é pouco para definir o ex-governador.

03/07/2017

15:14

Esmagadora maioria dos brasileiros acha que Temer merece prisão

O Instituto Paraná Pesquisas foi às ruas na semana passada perguntar: Você acha que há motivos para Lula ou Michel Temer serem presos? O resultado foi arrasador. Para 80% Temer deve ir para a prisão, enquanto 62% dizem o mesmo com relação a Lula.

Agora sintam a situação de Temer, de acordo com as pesquisas mais recentes: é rejeitado por 93%; para 80% há motivos para ser preso; 90% defendem eleições diretas; 79% querem a cassação ou renúncia; e apenas 2% aprovam sua gestão.

Como um presidente com esses índices por sobreviver? Ainda mais com outras duas denúncias, por obstrução de justiça e organização criminosa, que a Procuradoria Geral da República vai entregar em breve ao STF. A verdade é que o país é governado por um morto-vivo.

03/07/2017

13:48

A "caixinha" da Fetranspor na ALERJ

Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online

Leiam o que diz o Ministério Público Federal: "O doleiro e operador financeiro da Orcrim (organização criminosa) de Sérgio Cabral detalhou a dinâmica de arrecadação e pagamento de propina por empresários do setor de transporte no Estado do Rio de Janeiro a agentes públicos, incluindo o ex-governador, um ex-presidente do Detro e políticos não incluídos nesta medida cautelar por gozarem de foro por prerrogativa de função nos tribunais, mas que tinham direta ou indiretamente influência sobre a política de transporte no Estado".

É o que eu venho falando há muito tempo e, hoje cedo, antes do Ministério Público Federal falar à imprensa, voltei a repetir. Dezenas de deputados estaduais recebem da "caixinha" da Fetranspor, mas essa será outra etapa da Lava Jato no Rio.

Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247


03/07/2017

11:55

Encontro Marcado com Garotinho (Segunda - 03/07/2017)

03/07/2017

09:25

Fala Garotinho - 03 de julho de 2017

03/07/2017

07:58

Investigação da "caixinha" da Fetranspor deixa políticos do Rio em pânico

Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

Vocês lembram que eu avisei que estava para acontecer uma grande operação no Rio de Janeiro, além da Calabar, que prendeu cerca de 70 policiais militares e traficantes, que eu também antecipei. Ontem à noite foi preso no Galeão o empresário Jacob Barata Filho, que embarcava para Portugal só com passagem de ida. Agora pela manhã estão sendo cumpridos mandados de prisão contra os empresários do setor de transportes Jacob Barata, José Carlos Reis Lavouras, Amaury Andrade, Marcelo Traça Gonçalves, o presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), Lélis Marcos Teixeira, e o ex-presidente do Departamento de Transportes Rodoviários do Rio de Janeiro (Detro) na gestão de Sérgio Cabral, Rogério Onofre.

A operação de hoje é fruto das delações do ex-presidente do TCE e do doleiro Álvaro Novis. O foco é o esquema nas linhas de ônibus intermunicipais. Conforme já alertei aqui no blog e nos meus programas, na Rádio Tupi e no Facebook, em breve a PF e o MPF irão em cima de algumas dezenas de deputados estaduais, que recebem da "caixinha" da Fetranspor, e que segundo a delação do ex-presidente do TCE, é o presidente da ALERJ, Jorge Picciani quem comanda o esquema de distribuição da propina aos parlamentares.

Aliás, há muito tempo, como mostrarei mais tarde, venho denunciando a máfia dos ônibus no Rio de Janeiro. A investigação que deu origem à operação de hoje mira o esquema intermunicipal, mas certamente vai chegar à cidade do Rio de Janeiro e ao grupo de Eduardo Paes.

02/07/2017

13:24

Prefeitura de Campos adere ao material imoral do MEC e o prefeito comemora

Reprodução do jornal Hora H
Reprodução do jornal Hora H

Hoje o prefeito Rafael Diniz, em entrevista ao jornal Folha da Mentira, afirma com muito orgulho que Campos usa o mesmo material didático, distribuído pelo MEC para todas as cidades do Brasil. Diversos municípios já tomaram a iniciativa, como podem ver no caso de S. João de Meriti (mostrado acima), de determinar o recolhimento do livro. Entre as imoralidades que o livro apresenta existe uma que chega a beirar a insanidade. É a história “Enquanto o sono não vem”, que relata a história de um pai que pune uma filha por se negar a casar com ele. O livro é para crianças das séries inicias do ensino fundamental, entre 6 e 8 anos, terem acesso a uma história onde pai quer cometer incesto. Isso é crime. A Prefeitura de Campos deveria recolher imediatamente os livros e os pais acionarem a Justiça para que seus filhos não sejam contaminados por princípios que vão contra todos os requisitos morais, legais e cristãos. Aliás, em algumas cidades paróquias da Igreja Católica, e em outras associações de pastores já tomaram essa iniciativa.

É mais uma tentativa do governo federal de incutir, através das escolas, uma mentalidade e discussão de assuntos que são pertinentes somente às famílias. É uma intromissão indevida do Estado na formação de conceitos que devem ser transmitidos pelos pais aos seus filhos. Quero ressaltar que sou contra qualquer discriminação, mas sou contrário a usar a escola e material didático, feito com o dinheiro público, para difundir assuntos que são pertinentes à educação dos filhos. Neste caso é mais grave porque se trata, como disse, de uma criança que na negativa de aceitar a proposta de um pai é castigada e acaba morrendo de sede por não ter se casado com ele. O autor José Mauro Brant conta a história de Eredegalda, filha de um rei que quer se casar com a mais bonita de suas três filhas. E ela, corretamente, se nega e é punida até a morte. Essa insanidade não pode ser ensinada como uma coisa normal a crianças que estão formando conceitos e valores.

Reafirmo: sou contra qualquer tipo de preconceito, mas sou ainda mais contra que escolas queiram defender ideias que pertencem ao universo familiar.

02/07/2017

12:31

O céu de Brasília

Lendo os jornais do final de semana e depois da minha passagem em Brasília por dois dias gostaria de expressar minha opinião a respeito do que vi, ouvi e senti.

Em relação ao governo Michel Temer está se confirmando aquilo que eu havia dito na quinta-feira aqui no blog. Ele decidiu partir para o ataque, inclusive, a quem ele atribui estar fomentando na mídia notícias contra seu governo: as Organizações Globo. Se vai manter a estratégia após os últimos acontecimentos veremos. Mas a verdade é que a saída de Rocha Loures da cadeia, logo após a nota divulgada pelo jornalista Ricardo Noblat, no Globo, dando conta que ele faria delação premiada, deixou a todos perplexos. O retorno de Aécio ao Senado em situação muito mais grave do ponto de vista criminal ao delito cometido pelo então senador Delcídio Amaral está passado a sensação que a blindagem ao governo Michel Temer está funcionando. Também a escolha rápida da substituta de Rodrigo Janot na Procuradoria Geral da República, Raquel Dodge, que embora negue tem profundas divergências com o atual procurador dá indícios que o MPF vai tirar o pé do acelerador na Lava Jato.

O ambiente em Brasília, que era de dilúvio anunciado, deu uma clareada nos céus o. Resta saber se as nuvens carregadas que estavam sobre Brasília se espalharam de vez ou foi apenas um vento momentâneo e elas retornarão com força.

Ouvi de importantes lideranças petistas que embora digam abertamente que querem o afastamento de Temer, no fundo não é isso que desejam. O movimento feito pelo presidente na direção de abafar a Lava Jato e outras investigações da PGR interessa também ao PT e suas principais lideranças. Resta saber de forma decisiva qual será a reação do principal ator, o povo brasileiro. Estariam todos dispostos a “entubar” um acordão entre os três principais partidos do país, PMDB, PSDB e PT, para salvar seus líderes e evitar o impeachment de Temer?

Um deputado com quem conversei, amigo e fiel escudeiro de Eduardo Cunha, disse que o próximo a ser libertado da cadeia será ele. Garantiu que Eduardo vai ameaçar com delação premiada porque essa agora virou a senha que desespera o Planalto e aciona o sistema proteção para evitar o que chamam “caos político e econômico”.

Outra situação que alterou a relação de forças é a possível delação de Antonio Palocci, que jogaria para dentro da Lava Jato grandes nomes do sistema financeiro brasileiro, que entraram em campo e começaram a agir para evitar que o que ocorreu com as empreiteiras, que foram dizimadas no curso das investigações, aconteça com suas empresas. O poder dos bancos no Brasil é indiscutível e muito forte. Há ainda quem garanta, isso acho quase impossível, que Cabral estaria negociando prisão domiciliar em troca de delação premiada envolvendo altos membros da magistratura fluminense e nacional. Não creio, Cabral tem contra ele sete mandados de prisão, a revogação de todos seria uma via crucis. Vamos aguardar. Na política o senhor das decisões é o povo. Se o povo aceitar com tranquilidade e sem reação a boia de salvação do modelo político brasileiro, a meu ver esgotado, salva-se o governo Temer, o PMDB, o PT, o PSDB e os seus partidos satélites. Se o senhor dos destinos do país, “vossa excelência o eleitor” decidir ir para as ruas protestar, aí entra o “sobrenatural de almeida” e ninguém sabe o que poderá acontecer.

02/07/2017

11:38

Campos, a cidade que mudou de cor

Pezão e o atual prefeito de Campos, Rafael Diniz
Pezão e o atual prefeito de Campos, Rafael Diniz

Durante a gestão Rosinha Garotinho a oposição raivosa, feita especialmente pela mídia ávida por dinheiro e uma oposição sem idéias, chegou ao ridículo de propor ação de perda de mandado conferido pelo povo, por causa da cor utilizada na pintura de alguns poucos postes, como não podiam dizer que a cor era rosa, criou-se o ROSÁCEO, e a partir de então tudo de ruim em Campos dos Goytacazes passou a ser atribuído ao grupo dos ROSÁCEOS.

Como diria Nelson Rodrigues "para cada besteira que se diga haverá sempre idiotas de plantão dispostos a ouvir e acreditar."

E foi assim....

Embora Campos tenha sido a cidade com maior perda absoluta de recursos do petróleo, manteve os salários em dia, os programas sociais em funcionamento e as obras diminuíram o ritmo, mas não pararam totalmente.

A administração pública usou de mecanismos legais para ultrapassar um momento onde havia uma crise tridimensional.

Queda na arrecadação federal, falência das contas estaduais e o preço do barril de petróleo chegando ao fundo do poço.

Na ganância pelo poder, iludiram o povo com promessas mirabolantes.

A MENTIRA VERDE ERA CONTADA SEM A MENOR CERIMÔNIA.

Mas o destino é imperdoável com a demagogia barata.

DIDI, gênio que Campos ofertou ao futebol do Brasil, costumava lembrar aos colegas "treino é treino, jogo é jogo, é outra coisa."

Na hora de governar os verdes amarelaram porque achavam que falar e fazer eram coisas parecidas.

Quem parecia ter solução para tudo, na verdade não sabia nada.

Quem se dizia o novo era a volta do pior do coronelismo campista, perseguindo os pobres para aumentar a exclusão e abandonou a periferia, considerada por esses ignorantes lugar de marginais, pois é comum entre eles a ideia que a pobreza é a maior culpada pela violência.

OS VERDES AMARELARAM DIANTE DA REALIDADE E AGORA FICARAM ROXOS.

Roxos de vergonha, de tanta incompetência, de ter que mentir para si mesmos.

Roxos pois não sabem o que fazer na saúde, na educação, não sabem administrar as coisas mais simples do cotidiano de uma cidade.

Roxos pois hoje até o cidadão mais simples de Campos já percebeu que compraram a Câmara com cargos para parentes, se aliaram à justiça para cometer injustiças e perseguir adversários políticos.

Roxos de medo porque sabem que inevitavelmente o verde mentiroso será em breve cassado e serão jogados na lata de lixo da história como enganadores, irresponsáveis, inimigos dos trabalhadores, trapaceadores dos sonhos do povo.

É verdade que a vida está dura para os campistas, mas aguentemos firmes que o verdadeiro verde da esperança vai brotar e a cidade vai voltar a sorrir e Campos voltar a brilhar.

A canção nos ensina: fé no futuro,amanhã será outro dia.

É aguentar firme a travessia e depois comemorar o fim dessa agonia.

Que ironia, os verdes que inventaram a cor rosácea, hoje estão rosáceos de vergonha, pois não existe expressão melhor para definir alguém que votou em Rafael Diniz que roxo de arrependimento.

ANTHONY GAROTINHO

01/07/2017

15:10

Sérgio Cabral continua debochando de todos nós

Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

As regalias de Cabral são amplamente conhecidas, apenas foram reveladas agora imagens da liberdade que desfrutava em Bangu 8, andando de lá para cá, usando o gabinete do diretor como sala para as visitas que iam vê-lo. Fora as mordomias de comida especial vindo de fora, dormir na biblioteca para desfrutar de ar condicionado, enquanto os demais presos convivem com o calor sufocante das paredes de concreto no bairro mais quente da cidade do Rio. Agora Cabral está no presídio vip de Benfica. Alguém tem dúvidas de que continuas cheio de regalias? Aliás, esta semana o MPF revelou que Cabral tem na cela a companhia de um ex-PM, condenado por tráfico, que não poderia estar no presídio, que é para quem tem nível superior, porque ele age como mordomo fazendo tarefas para o ex-governador e também atuando como segurança particular. Um escárnio com os servidores e o povo. Mas Cabral tem muita proteção, afinal ninguém consegue acabar com a farra, com as regalias e privilégios.

01/07/2017

13:58

Os porões de Michel Temer

Reprodução do Radar online, da Veja
Reprodução do Radar online, da Veja

Impressiona o estilo conspiratório de Michel Temer, com movimentos na escuridão da noite, em porões, encontros secretos, quase um enredo de filme de suspense. É Joesley Batista entrando pela garagem do Palácio do Jaburu tarde da noite, sem se identificar, falando a senha para a segurança, "Rodrigo", numa referência a que era convidado de Rodrigo Rocha Loures, e depois se reunindo com o presidente no porão. São agendas noturnas secretas, que não são registradas, com personagens importantes da República. E agora essa do encontro secreto de Temer com FHC e Tasso Jereissati, em São Paulo. Temer foi para uma suíte do hotel, enquanto FHC e Tasso eram obrigados a entrar pelos fundos, passando pela cozinha, para não serem vistos. Pela trama me lembro mais uma vez que o falecido senador Antônio Carlos Magalhães, dono da Bahia por algumas décadas, disse que Michel Temer parecia "mordomo de filme de terror". Bem, o que Temer está obrigando o Brasil e o povo a passarem por sua resistência no Palácio do Planalto, à base de acordos e decisões nocivas ao interesse público, é mesmo um filme de terror.

01/07/2017

10:34

E Temer ainda tem coragem de dizer que o Brasil está avançando

Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

Ninguém cai mais nessa conversa fiada de que o Brasíl está avançando, que a crise foi vencida. Muito pelo contrário, continuamos andando para trás, a situação está cada vez pior. Além disso está claro para o empresariado e o sistema financeiro que enquanto Temer permanecer na Presidência da República o cai-não-cai vai manter a insegurança para qualquer investimento. Esta semana o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles admitiu que o crescimento da economia este ano ficará abaixo de 0,5%, previsão anterior. A crise política só faz destruir a economia. Fora Temer!

PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 ProximoUltimo