Visitantes online: 1577
logo topo

sábado, 27 de maio de 2017

08/05/2017

14:51

Governo Temer é uma tragédia que vai piorar

Moreira Franco, Michel Temer e Eliseu Padilha; abaixo Aécio Neves, padrinho da nomeação do deputado Antonio Imbassahy (PSDB-BA) como ministro da Secretaria de Governo
Moreira Franco, Michel Temer e Eliseu Padilha; abaixo Aécio Neves, padrinho da nomeação do deputado Antonio Imbassahy (PSDB-BA) como ministro da Secretaria de Governo

Para conseguir aprovar a reforma da Previdência, o Palácio do Planalto virou um balcão de negócios, pior do que na época do impeachment de Dilma, e que o PMDB e o PSDB tanto reclamavam. Eliseu Padilha, Moreira Franco e Antonio Imbassahy (PSDB), o representante de Aécio Neves no núcleo de Temer estão distribuindo cargos e verbas como se fosse feira. Até setores do governo que funcionam estão tendo as chefias trocadas para atender deputados. Temer sabe que hoje não tem a garantia dos 308 votos necessários para a aprovação da reforma, por isso loteia o governo. A situação chegou a um ponto que até áreas, como a Polícia Rodoviária Federal, estão sendo loteadas entre parlamentares.

Assistam o vídeo do superintendente da Polícia Rodoviária Federal de Santa Catarina, Fabrício Colombo, denunciando o aparelhamento político na instituição, o que o levou a pedir exoneração do cargo.



08/05/2017

13:29

PF fecha o cerco a ex-mulher de Sérgio Cabral

Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online

Em janeiro Susana Neves Cabral, primeira esposa de Sérgio Cabral e prima de Aécio Neves, foi conduzida coercitivamente pela Polícia Federal para prestar depoimento. Hoje a PF está cumprindo mandados de busca e apreensão em duas casas de Susana, em Araras (Petrópolis) e em S. João del Rey (MG). Segundo um dos operadores de Cabral, Luiz Carlos Bezerra, ela teria recebido R$ 2,8 milhões, que o ex-marido mandou lhe entregar. A defesa de Susana diz que ela recebia de R$ 15 mil a R$ 20 mil mensais, e que o dinheiro era para as despesas com os filhos. Ora, mas R$ 2,8 milhões, fora as despesas que Carlos Emanuel Miranda, o Avestruz pagava? O cerco está se fechando.


08/05/2017

11:54

Encontro Marcado com Garotinho (Segunda - 08/05)

08/05/2017

10:35

Orgulho de ser rubro-negro

Desde ontem o Rio se vestiu de vermelho e preto para comemorar o título do Flamengo. E como disse uma vez o jornalista tricolor Nelson Rodrigues: "Há de chegar o dia em que o Flamengo não precisará de jogadores, nem de técnico, nem de nada. Bastará a camisa aberta no ar, e diante do furor imponente do adversário, a camisa rubro-negra será uma Bastilha inexpugnável". Parabéns ao Flamengo! Com todo o respeito ao Fluminense e demais torcidas, ó meu Mengão, eu gosto de você.


08/05/2017

09:00

Fala Garotinho - 08 de Maio de 2017



08/05/2017

07:53

A delação de Cabral e o Judiciário

Reprodução da IstoÉ
Reprodução da IstoÉ

Três integrantes do STJ, outros três do Tribunal Regional Federal e 20 do Tribunal de Justiça do Rio. Esse seria o cardápio da delação premiada que Cabral quer negociar com MPF. Já foi noticiado que Cabral pretenderia delatar 97 nomes do Judiciário e do MP Estadual. Mas o fato é que existe muita pressão para que a Lava Jato não chegue ao Judiciário. Mas um fato é incontestável, pelo menos no caso do Rio de Janeiro. Por tudo o que já se sabe da roubalheira da quadrilha de Sérgio Cabral seria impossível ter reinado a impunidade por quase 10 anos sem a conivência de alguns integrantes do Judiciário e do MP. Aliás, já foi delatado que um ex-chefe do MP Estadual, Cláudio Lopes, teria avisado o então secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, de uma operação que aconteceria no dia seguinte. Vamos aguardar.

07/05/2017

14:15

Bancada federal do Rio de Janeiro é muito fraca

Reprodução do jornal O Dia
Reprodução do jornal O Dia

A triste realidade, vamos ser francos, é que a bancada federal do Rio de Janeiro hoje deve ser a pior da história do nosso estado. Dos 46 deputados federais, posso lhes assegurar, não passam de dez os parlamentares que podemos dizer que são atuantes na defesa dos interesses do Rio de Janeiro. Tem mais uma meia-dúzia que até aparece na mídia, faz firulas, mas é por causas de interesse pessoal, sem nenhum compromisso com o estado que representam. Mais da metade dos deputados federais fluminenses é muito fraca, não acrescenta nada, e alguns só estão lá para fazer negócios. Essa bancada fraca, que não defende o povo do Rio de Janeiro, é uma consequência do domínio da quadrilha do PMDB na política do Rio de Janeiro. O dinheiro das propinas comprou partidos e garantiu a eleição de deputados do esquema.

Agora, articulado pela deputado federal Hugo Leal (PSB), será entregue na quarta-feira ao Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, um pedido de intervenção federal na Segurança e na Saúde. Bem, o certo seria pedir a intervenção federal no Estado, afastando o governador Pezão, nomeando um interventor. Mas isso jamais seria assinado pela bancada fluminense. Pelo menos é alguma coisa. Mesmo assim quero ver quantos deputados vão ter coragem de assinar esse pedido. Até sexta-feira só cinco assinaram, é claro que depois vou informar os nomes de quem se recusar a subscrever o documento.

07/05/2017

12:01

Só mobilização dos trabalhadores pode derrubar reformas trabalhista e da Previdência

Reprodução do site Brasil de Fato
Reprodução do site Brasil de Fato

Execelente o artigo de Rubens Goyatá Campante, doutor em sociologia pela UFMG e pesquisador do Núcleo de Pesquisas da Escola Judicial do TRT-3ª Região, publicado no site Brasil de Fato.

Clique aqui e leiam o artigo na íntegra

Percebam que a postura dos veículos das Organizações Globo, assim como boa parte da mídia, contrária aos direitos dos trabalhadores, seja na CLT ou nas regras de aposentadoria, não é nenhuma novidade. Sempre foram contra os trabalhadores. Em 1962, quando foi criado o 13º salário, após uma greve geral, a manchete do Globo fala em desastre para o país. O tempo se encarregou de mostrar que o 13º não provocou nenhum desastre e aqueceu a economia, foi bom para todos.

Agora as centrais sindicais anunciam que vão marcar nova greve geral e pretendem levar caravanas de todo o país para pressionarem o Congresso contra as duas reformas que pretendem massacrar os trabalhadores brasileiros. É bom que o façam - sempre frisando que tem que ser dentro da lei e da ordem, sem vandalismo - porque a grande mídia dá total apoio às mudanças que vão tirar direitos consagrados do povo trabalhador. Só mostrando força nas ruas é que poderão convencer deputados e senadores a não traírem os brasileiros.

07/05/2017

10:26

PT não aprendeu a lição

Libertado na terça-feira, graças a um habeas corpus do STF, José Dirceu está em Brasília e não pode ir a reuniões políticas. Por isso não pôde comparecer ao Congresso Estadual do PT-SP. Mas foi o grande homenageado, inclusive por Lula. A todo instantes se ouviam gritos de "Dirceu, guerreiro do povo brasileiro".

Não custa lembrar que José Dirceu foi condenado por corrupção no Mensalão a 10 anos e dez meses de prisão, segundo a PGR era "o chefe da quadrilha". Na Lava Jato já foi condenado em duas ações, com penas somadas de 32 anos de prisão, por corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Além disso, nos discursos do congresso petista, todos trataram o ex-tesoureiro João Vaccari Neto (condenado na Lava Jato a 24 anos de prisão) e o ex-ministro Antonio Palocci como "presos políticos".

Tudo isso demonstra que o PT muito falou em fazer "mea culpa", chegou a ser discutida a mudança do nome do partido, mas no final, está demonstrado, que os petistas não aprenderam a lição nem com o Mensalão, nem com o Petrolão.

07/05/2017

09:08

Família Cabral movida a propina

Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

É bom deixar claro que esse quadro diz respeito apenas ao dinheiro entregue por um operador à família de Sérgio Cabral, no caso Luiz Carlos Bezerra. Mas há outros operadores que pagavam contas e entregavam dinheiro à família Cabral e agregados. O principal deles é Carlos Emanuel Miranda de Carvalho, amigo de infância e casado com uma prima de Sérgio Cabral, além de Pedro Ramos de Miranda, o "faz tudo" do ex-governador, e Sérgio de Castro Oliveira, o Serjão, que também levava dinheiro para a secretária do ex-governador, responsável pelo pagamento de contas da família.

Então esse quadro acima é ilustrativo das pessoas da família Cabral e agregados que recebiam dinheiro das propinas, mas o valores são ínfimos perto do total.

Só para citar dois exemplos, o ex-subsecretário de Comunicação Social, Francisco de Assis, o Kiko, que operava junto às agência de publicidade, contou ao MPF que repassou R$ 7,7 milhões ao deputado Marco Antonio Cabral, filho do ex-governador, e há o caso dos 12 cavalos importados, comprados por outro filho, João Pedro, conhecido como Cabralzinho. E, claro, muita coisa ainda não veio à tona.

Vamos lembrar também da planilha apreendida pela Polícia Federal que aponta o pagamento de mesadas de R$ 7,5 mil para a ex-sogra de Cabral, Angela Neves e à ex-cunhada, Nina Neves. Como Cabral era generoso até com a família da ex-mulher!

Enfim, como disse no título desta postagem, a família Cabral era movida a propina.

Mas não posso deixar de comentar a justificativa dada ao Globo pela mãe de Sérgio Cabral, que é de uma desfaçatez inacreditável (vejam reprodução abaixo).

Para quem não sabe Dona Magaly Cabral é diretora do Museu da República, nomeada em 2009 por Lula, a pedido de Sérgio Cabral, e até hoje permanece no cargo, com salário de R$ 13 mil. Ela alega que Cabral enviava dinheiro "vez ou outra", porque o marido, Sérgio Cabral, o pai, "parou de produzir, por estar com Alzheimer".

Ora, muita gente não sabe ou não lembra, mas Sérgio Cabral pai foi vereador da cidade do Rio de Janeiro por 11 anos (3 mandatos) e depois foi conselheiro do Tribunal de Contas do Município por 14 anos, aposentou-se em 2007. Se não se aposentou pelo setor privado, como jornalista, não disponho dessa informação, pelo menos tem duas gordas aposentadorias como ex-vereador, cujo salário hoje é de R$ 18.900 (brutos), e de ex-conselheiro, cujo salário atual é de R$ 26.500 (brutos). Então pega mal a mãe de Cabral querer usar a doença do marido para justificar a entrega de dinheiro enviado pelo filho. Além do mais, mesmo que o casal enfrentasse dificuldades financeiras, o que está muito longe de ser o caso, isso não serve de desculpa para receber dinheiro de propina.

Reprodução do Globo
Reprodução do Globo


06/05/2017

17:02

Corrupção corre solta na Prefeitura de Campos

Prefeito Rafael Diniz leva vida de playboy, trabalha pouco, vive em shows e festas de copo na mão, mas é rápido na hora de fazer negociatas com o dinheiro público
Prefeito Rafael Diniz leva vida de playboy, trabalha pouco, vive em shows e festas de copo na mão, mas é rápido na hora de fazer negociatas com o dinheiro público

Um mérito o atual prefeito de Campos, Rafael Diniz, já conseguiu. Ninguém superfaturou e comprou sem licitação tanto em tão pouco tempo. Já são mais de R$ 60 milhões em contratos e pagamentos, tudo por emergência, um verdadeiro escândalo. Também nunca houve na história do município uma compra tão descarada de vereadores em troca de nomeação de parentes, como no governo. Até o momento, os vereadores da base aliada do prefeito “socialista” Rafael Diniz, entre mulheres, irmãos, filhos, cunhados e, pasmem, até amantes, já nomearam mais de 100 cargos de confiança.

Como mostrei na semana passada, o fiscal de obras da Odebrecht virou secretário de Infraestrutura. O dono da agência de propaganda que fez a campanha de Rafael Diniz virou secretário de Comunicação. O jornalista do jornal que escancaradamente lhe apoiou virou chefe de gabinete. E agora o mais espantoso. Como poderão ver abaixo, a pessoa responsável por pagar mensalmente aos hospitais, clínicas, laboratórios, o dinheiro que o SUS repassa ao município é nada mais, nada menos que um diretor de hospital.

No dia 10 de janeiro saiu no DO a nomeação de Flávio Persilva Hoelze como assessor especial na Secretaria de Saúde, ele está trabalhando na regulação do município.
Acontece que ele é diretor administrativo do hospital Álvaro Alvim, ou seja, ele regula de um lado e atesta do outro. Além disso a carga horário dele seria incompatível nos dois lugares.
A prefeitura deveria ser o órgão fiscalizador e o hospital o fiscalizado, ou seja, porta aberta para a corrupção. Entre verba do SUS e da prefeitura, esse cidadão controla R$ 15 milhões por mês para repassar aos hospitais, inclusive aquele onde ele trabalha. Vejam os documentos.



Aliás, o vídeo abaixo é uma prova incontestável de compra de votos em Campos. A lei proíbe qualquer tipo de vantagem em troca de votos. No caso que vocês vão ver, o eleitor recebeu promessa de dez empregos, já recebeu dois, e está cobrando publicamente os outros oito. Uma vergonha! O que a Justiça Eleitoral de Campos irá fazer?




06/05/2017

15:45

Mais um escândalo no Maracanã

Pezão nas obras de reforma do Maracanã
Pezão nas obras de reforma do Maracanã

Conforme disse hoje no meu bate-papo pelo Facebook, a obra do Maracanã teve um gigantesco superfaturamento, que gerou propina a Sérgio Cabral e outros políticos. A Odebrecht, que assumiu a liderança do consórcio, quando estourou o escândalo da Delta, ficou responsável também pela gestão do estádio. Deu no que já se esperava. O estádio foi abandonado, sete mil cadeiras roubadas, a grama do campo deteriorada e milhões de reais jogados na lata do lixo.

A Odebrecht, obrigada pela Justiça do Rio a cumprir o contrato e assumir a gestão do estádio procurou uma parceria internacional e encontrou na Lagardére, uma empresa francesa, que administra 60 arenas no mundo, que faturou no ano passado 10 bilhões de euros, um parceiro interessado em assumir o Maracanã e cumprir todo o edital. Pois bem, ao Estado só cabe dar o “de acordo” no negócio privado entre a Odebrecht e a Lagardére. Depois de tudo acertado com os franceses, que receberam de Pezão a palavra empenhada, ele agora quer voltar atrás.

Por que será?

Por que o Estado, que não tem dinheiro para manter as suas escolas, hospitais, nem mesmo pagar os salários de seus funcionários, não quer dar o aval para o acordo entre duas empresas? O que quer Pezão? Deixar o Maracanã apodrecer no tempo?

A empresa francesa enviou por escrito ao governador cópia do seu acordo com a Odebrecht. Entre outras coisas, a Lagardére assumirá o valor da outorga ao Estado, no valor de R$ 600 mil / mês, investirá R$ 300 milhões em obras durante o tempo da concessão, e transformará o Maracanã na maior arena de eventos esportivos e culturais do país. Ainda utilizará os espaços internos do estádio para a implantação de uma universidade.

Um mistério: por que Pezão não quer que o acordo seja fechado? A Odebrecht não quer, o Estado não tem dinheiro, R$ 600 mil por mês de outorga é melhor do que nada, R$ 300 milhões em obras, dinheiro novo, vindo do exterior, sem custo para o governo, e Pezão não quer. Muito estranho...

Acho que nesta altura o governador ou dá o “de acordo”, ou municipaliza o estádio, porque os franceses também têm interesse no Parque Olímpico, que daqui a pouco também estará destruído sem não tiver uma manutenção adequada. Pezão diz que o Flamengo tem interesse. Todo mundo sabe que sou um flamenguista apaixonado, mas o estádio não pode pertencer a um clube, tem que ser de todos os clubes que quiserem jogar ali. É o templo do futebol brasileiro, e além do mais, o Flamengo não tem dinheiro para fazer as obras complementares do Maracanã.

A triste realidade é que Pezão, além de fraco e comandar um governo corrupto, tem uma equipe incompetente, despreparada, e que está espantando investidores, além de enterrar cada vez mais o estado. Vocês vão descobrir depois, se não houver uma pressão imediata da sociedade para que a Lagardére assuma o Maracanã, quem de fato está por trás dessa jogada que tem Pezão à frente. Como já sei o final da história anotem aí: Flávio Godinho, preso recentemente na Lava Jato, com US$ 52 milhões em contas no exterior, Eike Batista, Sérgio Cabral, e uma empresa de eventos esportivos ligada à Globo que quer melar o acordo com os franceses para ficar com o negócio.

Depois não digam que o general De Gaulle, que certa vez afirmou que “o Brasil não é um país sério”, diante do quadro do Estado do Rio de Janeiro não tem razão.

06/05/2017

14:10

A farra de viagens internacionais de Eduardo Paes

Reprodução do site SRZD
Reprodução do site SRZD

Em seu site, o jornalista Sidney Rezende revela a farra de viagens do ex-prefeito Eduardo Paes, que seguiu os passos de Sérgio Cabral. Não deixem de ler a matéria, que mostra os destinos internacionais de 42 viagens do ex-prefeito, o seu gosto por jatinhos de luxo, alugados 69 vezes, com gasto de quase R$ 4 milhões. Foi uma farra com o dinheiro do povo. Pelo menos poderia ter pago esses luxos com o dinheiro da propina que foi depositada para ele em contas no exterior, no Panamá, em Belize e na Suíça. Mas não, economizou a propina e torrou o dinheiro da Prefeitura do Rio. O Ministério Público precisa pedir o ressarcimento dos cofres municipais. Mas cliquem no link abaixo, e conheçam todos os detalhes.

Clique para ler a matéria

06/05/2017

13:34

Garotinho responde perguntas sobre a conjuntura política no Facebook



06/05/2017

12:05

Ânimos acirrados às vésperas da Batalha de Curitiba

O depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro será na próxima quarta-feira. Haverá um forte esquema de segurança em Curitiba. O PT e movimentos sociais vão dar apoio a Lula e pretendem colocar nas imediações do prédio da Justiça Federal cerca de 30 mil pessoas. Todos os deputados federais e senadores do PT estarão presentes.

Grupos contrários ao PT pretendem protestar no mesmo local. Os ânimos se acirraram esta semana com a libertação de José Dirceu. Em frente ao prédio para onde ele foi em Brasília manifestantes anti-PT chegaram a invadir a garagem, quase houve confronto com militantes do PT. O clima é preocupante.

06/05/2017

10:31

Michel Temer e Henrique Meirelles: só eles veem o fim da crise econômica

Michel Temer e Henrique Meirelles
Michel Temer e Henrique Meirelles

Esta semana tivemos dois indicadores sobre a realidade da crise econômica. A taxa de desemprego do primeiro trimestre subiu para 13,7%, agora são 14,2 milhões de desempregados, e a produção industrial recuou 1,8%, comparando março com fevereiro. Portanto são sinais de que a crise não está "começando a terminar" como dizem Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e muito menos que "a economia vive uma onda excepcional", como afirmou o presidente no início do mês passado. Aliás, Temer voltou a repetir ontem: "Não sinto que tenha errado". Ele pode não sentir, mas os brasileiros sentem no bolso, tanto assim que se contam nos dedos aqueles que ainda acreditam nesse governo, que é uma tragédia.


PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 ProximoUltimo