Visitantes online: 1298
logo topo

terça-feira, 25 de julho de 2017

27/06/2017

15:35

Votação em plenário sobre denúncia de Temer não é uma questão matemática

Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247

A toda a hora se fala que em números sobre a decisão que o plenário da Câmara irá tomar sobre a denúncia contra Temer encaminhada ao STF. Fala-se que Temer precisa apenas 172 votos contrários à denúncia e que a oposição necessita pelo menos 342 para que o processo penal siga adiante. O Palácio do Planalto fala em 240 votos garantidos na base, o que, aqui para nós, não passa de uma ilusão. Por mais que Temer instrua sua defesa a não perder mais que um ou dois dias na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (pelo regimento interno a defesa tem 10 sessões para apresentar seus argumentos), serão necessárias depois mais 5 sessões para debates antes dos 70 integrantes da comissão votarem o parecer, que depois terá que ser submetido ao plenário. Resumindo não há chance de antes de duas semanas ser tomada uma decisão em plenário, com grande chance do parecer da Comissão de Constituição e Justiça não ser submetido ao conjunto dos deputados antes do recesso de julho, que começa na prática no próximo dia 14.

Até acontecer a votação em plenário muitos deputados da base ficarão na encolha. Vão dizer que votarão com Temer para não sofrerem retaliações do Palácio do Planalto, mas na última hora acontecerão muitas traições. Basta lembrar a votação na Câmara que autorizou o processo de impeachment de Dilma. A presidente precisava dos mesmos 172 votos para barrar o processo, mas só teve 137 votos, com diversas traições de deputados que juravam de pés juntos que ficariam do lado dela.

Nas próximas duas semanas, mesmo que não surja um fato novo, o que é improvável, Temer continuará derretendo e a pífia aprovação de apenas 7% dos brasileiros, segundo o Datafolha minguará ainda mais. É elementar que Temer terá aprovação abaixo de 5% daqui a duas semanas, não é necessário bola de cristal para essa previsão.

A votação em plenário será nominal, cada deputado terá que mostrar a cara, ir até o microfone e anunciar o seu voto para o Brasil inteiro assistir. No próximo ano teremos eleições para a Câmara. Quem vai querer praticar o suicídio político, ao vivo e a cores, diante de todos os eleitores do seus estados?

Por saber de tudo isso é que Temer quer apressar ao máximo a votação no plenário, mas a oposição não deixará barato. Se a votação fosse no dia de hoje talvez Temer escapasse do processo. Daqui a duas semanas só por um milagre se safa, e eu não acredito. Mas mesmo nessa hipótese vem aí mais uma denúncia da PGR e todo esse processo regimental terá que ser repetido.

27/06/2017

14:04

Garotinho fala direto de Campos sobre audiência do Cheque Cidadão



27/06/2017

13:19

Cabral continua cheio de privilégios atrás das grades

A farra de Cabral continua no presídio vip de Benfica. Nada que lembre as festas nababescas nos melhores hotéis e restaurantes da Europa, é claro, nem os regabofes na mansão de Mangaratiba - que vai a leilão - com a Gangue dos Guardanapos, mas ainda assim é uma farra que afronta o povo do Rio de Janeiro. Colocaram na cela de Cabral um ex-policial militar condenado a 21 anos por tráfico. Ora, se o presídio vip é só para quem tem nível superior, o que um ex-policial traficante está fazendo lá? O Ministério Público Federal suspeita que o preso faz os papéis de "mordomo" e "segurança particular" de Cabral. Isso tem que acabar, é um deboche com os servidores estaduais e com a população. Até quando a farra de Cabral vai continuar?

27/06/2017

11:50

O que é isso, companheiro?

Lula com o presidente do PT-RJ, Washington Quaquá e sua mulher, a deputada Zeidan
Lula com o presidente do PT-RJ, Washington Quaquá e sua mulher, a deputada Zeidan

O presidente do PT-RJ, Washington Quaquá está ultrapassando uma fronteira perigosa. Para pressionar o juiz Sérgio Moro a absolver Lula, no caso do triplex, Quaquá está pregando o confronto nas ruas, se o ex-presidente for condenado: "Queremos, a partir do Rio de Janeiro, dizer em alto e bom som: condenar Lula sem provas é acabar de vez com a democracia! Se fizerem isso, se preparem! Não haverá mais respeito a nenhuma instituição e esse será o caminho para o confronto popular aberto nas ruas do Rio e do Brasil!"

"Confronto popular aberto nas ruas" nada mais é do que enfrentamento da ordem estabelecida, que obviamente só pode terminar mal. O Brasil já tem crises demais, a política, como um presidente que não tem mais a mínima condição moral de permanecer no cargo; e a econômica, que é uma tragédia para mais de 14 milhões de desempregados. Era só o que faltava agora confrontos nas ruas. O que Quaquá está fazendo é brincar com a democracia.



27/06/2017

09:28

Fala Garotinho - 27 de junho de 2017

27/06/2017

08:05

PGR diz que Temer "ludibriou" brasileiros e pede indenização de R$ 10 milhões

Reprodução do G1
Reprodução do G1

Esse é só a primeira denúncia contra Michel Temer. Em breve a PGR deve encaminhar mais denúncias por organização criminosa e obstrução da justiça. Aliás, o relatório da Polícia Federal entregue ontem ao Supremo Tribunal Federal conclui que o presidente cometeu crime de obstrução da justiça. Além disso, a PGR encaminhou ao STF pedido de nova investigação sobre a atuação de Michel Temer em benefício de empresas do setor portuário, inclusive o caso da MP dos Portos, que eu, quando era deputado federal apelidei de MP dos Porcos. Hoje vamos ver a repercussão no Congresso Nacional. Temer quer que a Câmara dos Deputados vote o mais rápido possível a denúncia da PGR. Ele sabe que quanto mais tempo demorar maiores as chances da Câmara autorizar o processo penal e sua base de apoio desmoronar. Mas existem prazos a serem cumpridos. A menos que seja suspenso o recesso parlamentar que começa dia 17 de julho, a votação em plenário só poderá ocorrer em agosto.


26/06/2017

20:21

O presidente denunciado por corrupção

Reprodução da Veja
Reprodução da Veja

Nunca antes na história deste país tivemos um Presidente da República denunciado na Justiça por corrupção no exercício do mandato, como Michel Temer a partir de hoje. O suplente de deputado Rodrigo Rocha Loures também foi denunciado pelo mesmo crime. Agora o STF encaminhará a denúncia à Câmara dos Deputados, que primeiro será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça, antes de ir a plenário onde Temer precisará de 172 votos para impedir o processo penal. Se não conseguir os votos necessários o presidente responderá o processo e terá que se afastar do cargo por até 180 dias.

É importante destacar que a denúncia de Rodrigo Janot se atém apenas ao crime de corrupção passiva. Porém, Temer é investigado também por organização criminosa e obstrução da justiça. Com isso fica clara a estratégia da Procuradoria Geral da República de apresentar as denúncias separadamente. Com isso Temer se escapar do primeiro processo com o apoio dos deputados terá que passar por esse crivo mais duas vezes em outras ocasiões. Mesmo que vença a primeira batalha continuará derretendo enquanto o país afundará ainda mais na crise.

Vamos ver a reação do Congresso e dos partidos a partir de agora, mas Temer agoniza ainda mais.

26/06/2017

17:48

Datafolha: A derrocada dos tucanos

Reprodução do G1
Reprodução do G1

O fato de Lula liderar em todos os cenários hoje não me surpreende, mas não esqueçam que pesquisa é retrato do momento, e treino é treino, jogo é jogo. Além disso, Lula tem rejeição de 46%. O dado que mais chama a atenção é o naufrágio eleitoral do PSDB. Claro que o fator Aécio foi determinante, mas não podemos esquecer as contas de José Serra no exterior, além da delação da Odebrecht que atinge Geraldo Alckmin. Mas o fato dos tucanos darem sustentação ao governo Temer também é arrasador. Se o PSDB ler a pesquisa Datafolha com cuidado vai perceber que se não pular fora do barco de Temer logo, sofrerá um derrota avassaladora nas eleições de 2018, inclusive na Câmara e no Senado.

26/06/2017

16:39

Temer, mais perdido do que nunca, insiste que completará mandato

Charge de Genildo; abaixo reprodução do Globo
Charge de Genildo; abaixo reprodução do Globo

Ainda na Noruega, o presidente Michel Temer disse aos jornalistas que esta será uma semana normal, como se não estivesse nem aí para a denúncia da Procuradoria Geral da República. Hoje em solenidade no Palácio do Planalto, Temer foi mais incisivo: "Nada nos destruirá. Nem a mim nem aos nossos ministros".

É ilusão o presidente, acossado por denúncias de corrupção, com apenas 7% de aprovação, o pior índice em 28 anos, perdendo aliados a cada dia, acreditar que completará o mandato, ainda mais com os ministros mais próximos, igualmente investigados por corrupção. Como mostra a charge acima, Michel Temer está lá no fundo do ralo dizendo que não renunciará, repetindo isso como um mantra, achando que insistindo nesse discurso conseguirá escapar. Não poderia estar mais enganado.



26/06/2017

13:40

Adriana Ancelmo, a "madrinha" de desembargadores nomeados por Cabral

Reprodução da Folha de S.Paulo
Reprodução da Folha de S.Paulo

Matéria de Italo Nogueira, da Folha de S.Paulo, revela como eram escolhidos por Sérgio Cabral os novos desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio. Primeiro tinham que passar por uma entrevista com Adriana Ancelmo. Até ministros nomeados no STJ por Lula, a pedido de Cabral, passaram pelo crivo da ex-primeira-dama.

Aliás, Adriana Ancelmo, que responde a quatro processos e cumpre prisão domiciliar, justificou a um advogado com quem esteve porque o casal se envolveu em tantos esquemas de corrupção. Segundo ela, "estavam em êxtase", como que diz, era tudo lindo, maravilhoso, as propostas não paravam de chegar. Agora que o êxtase acabou, Cabral e Adriana vivem em depressão. Uma vistoria do MPF no presídio vip de Benfica constatou que o ex-governador tinha na cela excesso de remédios de tarja preta contra a depressão.

26/06/2017

11:55

Encontro Marcado com Garotinho (Segunda - 26/06/2017)

26/06/2017

09:29

Fala Garotinho - 26 de junho de 2017

26/06/2017

07:56

O general do bunker do Planalto

Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

Há situações que são sintomáticas. No meio da mais grave crise política do seu governo, o homem-forte do Palácio do Planalto não é nenhum político, ninguém que trabalhe na articulação com o Congresso. O homem que emergiu como um dos principais conselheiros do presidente Michel Temer foi o general Sérgio Etchegoyen, ministro do Gabinete de Segurança Institucional, a quem a ABIN é subordinada. Vocês lembram que foi noticiado que o Palácio do Planalto estava espionando o ministro do STF, Edson Fachin. O Palácio do Planalto desmentiu, mas ficou a dúvida no ar. Quando o general da área de inteligência é chamado para aconselhar é sinal que não há mais condições políticas de sobrevivência. Tá feia a coisa!

25/06/2017

14:03

Garotinho fala das crises nacional e estadual



25/06/2017

12:31

Força, Fábio Assunção!

Reprodução do Extra
Reprodução do Extra

Não conheço o ator Fábio Assunção, mas o admiro além do artista, pelo seu senso de justiça que demonstrou no episódio da covardia que sofri quando fui arrastado do Hospital Souza Aguiar (vejam abaixo o que ele postou). Claro que a gente fica triste pela situação que ele passou, mas mais triste fico vendo como algumas pessoas agem como carrascos de um ser humano, tripudiam, parece que exultam com a desgraça alheia. O ator pediu desculpas, reconheceu que bebeu demais, garante que não usou drogas ilícitas, pediu, inclusive, para fazer exame toxicológico, para provar o que diz. Merece todo o respeito e a força das pessoas.

Reprodução do Facebook de Fábio Assunção
Reprodução do Facebook de Fábio Assunção


25/06/2017

10:47

FHC volta a defender que Temer chame Congresso para convocar eleições diretas

Reprodução do Estadão
Reprodução do Estadão

Na iminência da denúncia por corrupção que será apresentada no início da próxima semana pelo Procurador Geral da República contra o presidente Michel Temer, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso voltou a defender a convocação de eleições diretas: "Ele podia chamar as forças políticas e antecipar a eleição para daqui a oito, nove meses. Isso para ter legitimidade."

FHC chegou a comparar a situação de Temer com os últimos dias de Getúlio Vargas e ressaltou a gravidade da situação: "O procurador-geral da República, baseado em uma investigação da Polícia Federal, que é submetida à Presidência, se dispõe a mover uma ação contra o presidente. E por corrupção. Isso nunca houve", disse o tucano durante palestra em São Paulo. "Se por um lado isso é sinal de que as instituições estão independentes, por outro lado, é gravíssimo."

PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 PróximoÚltimo