Visitantes online: 290
logo topo

quinta-feira, 4 de junho de 2020

06/06/2018

16:01

PF vê indícios de mesada de R$ 340 mil a Temer na década de 90

A Polícia Federal informou ao Supremo Tribunal Federal que vê indícios de pagamento de R$ 340 mil mensais ao presidente Michel Temer, no fim da década de 90, por parte de empresas da área portuária, entre elas a Rodrimar, cujos dirigentes são investigados junto com o presidente em inquérito que apura se houve edição de decreto em 2017 para beneficiar empresas em troca de propina.

A informação consta no pedido de 69 páginas da Polícia Federal, do dia 15 de março, para a Operação Skala, com buscas e depoimentos sobre o caso. A operação foi deflagrada em 29 de março último, com prisões de dois amigos de Temer para prestar esclarecimentos e apreensões de materiais nos endereços dele e das empresas portuárias.

O delegado Cleyber Malta Lopes cita, no documento, uma planilha que relacionava pagamentos a "MT", que seria Michel Temer, a "MA", que seria Marcelo Azeredo, indicado por Temer para comandar a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) – estatal que administra o Porto de Santos, e a "L", que seria Lima, o coronel aposentado da Polícia Militar João Batista de Lima Filho, amigo de Temer e sócio da Argeplan.

Lopes destaca que "a planilha em questão surpreende pelo nível de detalhamento e divisão dos supostos valores pagos em propina mensal, já naquela época, em 1998, em contratos de arrendamento que variavam de 10 a 20 anos".

Afirmou que a planilha indica que "MT" recebia 50% dos valores referentes aos contratos e que "MA" e "L" tinham 25% cada. A tabela foi entregue à Justiça pela ex-mulher de Azeredo, que estava em processo de divisão de bens e queria comprovar que o marido tinha outras rendas.

06/06/2018

13:06

Alunos e professores se protegem de tiros em escolas em São Gonçalo

Alunos e professores de escolas municipais de São Gonçalo, tiveram que se abrigar no chão e nos corredores das unidades durante um intenso tiroteio na manhã desta quarta-feira.

Os casos aconteceram na Escola Municipal Pastor Haroldo Gomes, em Itaúna, e no CIEP Municipalizado Anita Garibaldi, no Jardim Catarina, ambas próximas ao Complexo do Salgueiro, onde ocorreu o tiroteio.

Segundo a Polícia Militar, uma operação estava sendo realizada na comunidade.

06/06/2018

09:55

Justiça retira mais de R$ 200 milhões da propaganda de Temer

O juiz Renato Borelli, da 20ª Vara do Distrito Federal, suspendeu uma portaria do governo Michel Temer que transfere R$ 203 milhões da área social para custear publicidade do Planalto.

“A situação apresentada atualmente beira o caos, e a retirada do orçamento de verbas destinadas para a concretização de políticas públicas, com o nítido caráter eleitoral, é patentemente um afronte à sociedade”, escreveu o juiz na sentença.

05/06/2018

16:01

Defesa de Lula apresenta novos pedidos de liberdade no STF e no STJ

A defesa do ex-presidente Lula pediu, nesta terça-feira, ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), a suspensão da prisão que o ex´presidente cumpre pela condenação no caso do triplex no Guarujá (SP).

Os pedidos buscam dar efeito suspensivo dentro de recursos já apresentados pela defesa contra a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) que confirmou a condenação do petista na Operação Lava Jato e elevou a pena para 12 anos e 1 mês de prisão.

Nos pedidos, a defesa reitera argumentos já apresentados ao próprio TRF-4 que apontam supostas irregularidades no processo, como incompetência de Sérgio Moro para analisar o caso, falta de imparcialidade no julgamento e de isenção por parte dos procuradores do Ministério Público.

No novo pedido de liberdade, os advogados de Lula alegam que a soltura "não causará nenhum dano à Justiça Pública ou à sociedade" e que a manutenção dele na cadeia causa "lesão grave de difícil reparação".

"Trata-se de pré-candidato à Presidência da República que, além de ver sua liberdade tolhida indevidamente, corre sérios riscos de ter, da mesma forma, seus direitos políticos indevidamente cerceados, o que, em vista do processo eleitoral em curso, mostra-se gravíssimo e irreversível", diz a peça apresentada ao STF.

05/06/2018

12:30

Em depoimento de menos de 4 minutos, Pezão defende deputado preso

Pezão foi ouvido nesta segunda-feira, em audiência no Tribunal Regional Federal da 2ª Região, no processo da Operação Cadeia Velha que prendeu Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi.

Convocado pela defesa de Paulo Melo, o governador negou ter conhecimento sobre o correligionário de seu partido ter recebido "benefício pessoal", favorecimento do setor de transportes ou mesmo que tenha sido procurado por empresas. Em três minutos e 50 segundos, Pezão respondeu apenas "não" à maioria das perguntas, negando ter conhecimento de qualquer conduta ilegal do deputado.

Na primeira das duas únicas perguntas em que se estendeu, Pezão elogiou Melo, classificou o deputado como "pessoa competente" e disse que, "para uma pessoa que só tem ensino primário", impressionava o conhecimento que Melo tem sobre os procedimentos legislativos e o regimento da Assembleia Legislativa. Essa pergunta foi formulada pela defesa do deputado.

05/06/2018

10:21

Fachin autoriza nova perícia em celular de Eduardo Cunha

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, acolheu pedido do juiz Sérgio Moro para ter acesso a arquivos de mídia e ao aparelho celular do ex-deputado Eduardo Cunha de forma a viabilizar a realização de perícia requerida pela defesa.

Segundo a Polícia Federal, constam no aparelho mensagens em que Cunha cita o presidente Michel Temer. O diálogo, segundo interpretação dos agentes, trata do pagamento de propina pelo empresário Joesley Batista, do Grupo J&F.

A PF já fez uma perícia no aparelho, cujo laudo encaminhou a Fachin. Segundo os investigadores, Cunha e o então deputado Henrique Eduardo Alves (MDB-RN) conversaram, em 2012, sobre o repasse de propina por Joesley Batista a políticos do MDB na Câmara.

De acordo com a PF, em certo ponto do diálogo, Cunha disse a Alves que a distribuição de pagamentos combinada com Joesley não agradaria a Temer.
Entretanto, quando o inquérito foi remetido à primeira instância, somente o laudo foi encaminhado junto aos autos, motivo pelo qual a defesa de Cunha solicitou o envio do aparelho e das mídias com os arquivos extraídos para nova perícia.

Nesse inquérito da Lava Jato, Cunha é investigado por supostamente participar de um esquema de desvio de recursos na contratação de navios-sonda pela Petrobras. O ex-deputado nega qualquer participação. Condenado em dois processos a 39 anos de prisão, ele se encontra preso preventivamente no Complexo Médico-Penal de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

04/06/2018

14:29

Sócio da Libra contradiz Temer sobre atuação do coronel Lima em campanha

Reprodução do blog O Antagonista
Reprodução do blog O Antagonista
O empresário Gonçalo Torrealba, um dos sócios do Grupo Libra, apresentou informações à Polícia Federal que contradizem resposta de Michel Temer aos investigadores a respeito da atuação do coronel João Batista Lima Filho como arrecadador financeiro de campanhas do emedebista. O coronel, aposentado da PM de São Paulo, é amigo de Michel Temer.

Torrealba teria afirmado à Polícia Federal que recebeu um pedido do coronel Lima para doação de campanha à candidatura de Michel Temer a deputado federal “há mais de dez anos”. Temer concorreu a uma vaga na Câmara em 2002 e 2006. Em 2010, foi candidato a vice de Dilma Rousseff.

Perguntado pela PF em janeiro se João Baptista Lima Filho atuou como arrecadador de campanha para Temer, o presidente respondeu, por escrito: "O Sr. João Batista me auxiliou em campanhas eleitorais, mas nunca atuou como arrecadador de recursos".

Lima, assim como Temer, é investigado pela suspeita do recebimento de propina por meio do chamado decreto dos portos, que teria beneficiado empresas do setor portuário, dentre elas o grupo Libra.

Torrrealba, porém, afirmou que os recursos não foram repassados porque o grupo e seus sócios faziam as doações para candidaturas majoritárias e para partidos políticos. Ainda segundo o empresário, os encontros com o coronel Lima teriam acontecido na sede do grupo Libra e que em 20015 teria recorrido a Lima para agendar um encontro na na Secretaria dos Portos “por considerar que tinha proximidade no governo, incluindo Temer”.

Em seu depoimento, Torrealba admitiu que o decreto dos portos beneficiou a sua empresa, mas negou o pagamento de propinas ou doações feitos por meio de caixa 2.

04/06/2018

07:41

A VERDADE PREVALECERÁ

Em mais um capítulo da perseguição judicial contra mim e minha família, desde que denunciei a quadrilha de CABRAL à JUSTIÇA FEDERAL e pedimos investigações envolvendo membros do judiciário estadual, estaremos em audiência no FORUM DE CAMPOS a partir de meio-dia de hoje.

Apesar de todas as injustiças que já sofremos, as mentiras estão caindo definitivamente por terra.

Enquanto a aliança midiática, política e judicial que governa Campos vai perseguindo o povo e destruindo a cidade, nossa fé renovada em Deus tombará por terra os que usam da mentira e da justiça para perseguir seus adversários políticos.

Enquanto Rosinha governou Campos com amor e honestidade, atualmente prevalece o ódio, a perseguição e a corrupção.

Um abraço.
Daqui a pouco estaremos no Forum.