Garotinho discursa no comício do Dr. Chicão
Garotinho discursa no comício do Dr. Chicão


Depois que revelei ontem o esquema montado em Campos para impor à cidade o nome do candidato das elites, com o envolvimento de setores da Justiça e da Polícia Federal, as coisas começaram a mudar no Rio e em Brasília. Vejam abaixo o absurdo cometido pelo delegado federal Paulo Cassiano ao usar seu telefone para fazer campanha de Rafael Diniz.

A primeira imagem é a mensagem que ele envia para sua lista de contatos de SMS onde diz que "a corrente do bem não para de crescer" e depois utiliza a expressão "Vai ser diferente!", que é o slogan da campanha de Rafael Diniz.




Ao ser informado por uma pessoa que recebeu a mensagem que se tratava do telefone do delegado Paulo Cassiano não acreditei. Liguei para um amigo que tem uma loja de telefones celulares, que tem acesso ao sistema, para saber se era possível descobrir o proprietário da linha. Aí vejam o diálogo abaixo.




Para não restar nenhuma dúvida que o delegado enviou esta mensagem, pois ele utiliza 4 chips de operadoras diferentes, conseguimos a data e a hora em que o telefone passou a mensagem. Vejam a imagem que confirma o dia e a hora em que o delegado da PF enviou a mensagem do telefone registrado em seu nome.





Ontem representamos ao juiz eleitoral Ralf Manhães, que já foi considerado suspeito por quatro vezes em ações em que prejudicou a Prefeitura de Campos, e suas decisões revogadas pelo Tribunal de Justiça do Rio. Já sabíamos que a decisão dele seria em favor do delegado Paulo Cassiano, mas ele chegou ao cúmulo de ao invés de analisar as provas, abrir um processo contra mim por quebra de sigilo telefônico do delegado. Ou seja, em vez de punir quem está usando a máquina pública e o cargo de delegado federal para prender, ameaçar e criar um clima de terror na cidade, o juiz, aliado do delegado e de Rafael Diniz, resolveu transformar a vítima em réu. Mais uma vez tenho confiança que sua decisão será desfeita, anulada na instância superior.

Também no dia de hoje retomei meu programa de rádio, que estava fora do ar há dois dias. Por decisão unânime, os juízes e desembargadores do TRE entenderam que a decisão de calar uma emissora de rádio, apenas porque um locutor faz comentários sobre obras do governo, não está prevista na legislação eleitoral, além de ser considerado censura e um ataque contra a liberdade de opinião.

Hoje mais outra vitória contra as perseguições que estamos sofrendo. O ministro Luiz Fux, integrante do TSE e do STF, concedeu habeas corpus à secretária de Desenvolvimento Humano, Ana Alice e à coordenadora do programa Cheque-Cidadão, Gisele. Isso demonstra o abuso e covardia que vinham sendo cometidos contra essas duas pessoas, cuja única acusação era colocar comida na mesa dos pobres.

Agora só falta reverter uma decisão até às 15 horas, aquela que proíbe a prefeita Rosinha de pagar o CHEQUE-CIDADÃO até o fim do processo eleitoral. Normalmente os beneficiários receberiam o dinheiro amanhã, mas por uma decisão da Justiça, ela só poderá depositar o dinheiro quando terminar o processo eleitoral. Milhares de pessoas pobres aguardam essa decisão, porque senão muitas delas não terão como alimentar seus filhos, suas mães e pais idosos, crianças especiais e outros que têm como única renda o programa social da prefeitura.

A Folha da Manhã estimulada pelo candidato dos ricos fez tudo para que isso acontecesse. A prefeita Rosinha vai tentar até o último instante conseguir a liberação da Justiça para o depósito na conta de cada usuário do cartão CHEQUE-CIDADÃO. Se a Justiça não autorizar, os ricos donos do jornal Folha da Manhã vão passar o final de semana bebendo uísque e saboreando pratos caríssimos, enquanto as famílias pobres vão sentir apenas a dor das barrigas vazias.


Em tempo: Embora o jurídico da nossa campanha tenha afirmado em entrevista durante o meu programa de rádio que a questão relativa à secretária Ana Alice já estava resolvida, houve um equívoco, já que o deferimento pelo ministro Luiz Fux foi num caso praticamente idêntico, o que gerou esse ruído de comunicação. Portanto não houve ainda decisão do caso, nem favorável, nem contrária.

Comentários

30/09/2016

12:40

MIRUNGA - Rio de Janeiro

Não para a perseguição implacável contra um ser humano que só fez o Bem para os menos favorecidos. O pobre não vai mais no maracanã e acabaram com os restaurantes e farmácias populares. Garotinho o Povo precisa que você como em 1998 tirou o Estado falído e no Buraco.

23/10/2016

11:52

Ana Lúcia - Rio

É demais. É preciso deixar essa gente envergonhada e desmontar esse esquema. Volte, pelo menos, com Senador. O senhor nao pode ficar fora da política. Só acho difícil ajudar com essa esquerda podre. Meu marido como jornalista expressa a verdade de que o senhor precisa entender. Não siga a ideologia da esquerda. Mude e terá apoio de muitos. O Brasil não quer mais comunistas ou socialistas. Ore e peça a confirmar isso. É sério.