Garotinho, em 2012, apresenta documentos sobre corrupção de Cabral à CPI do Cachoeira; abaixo protocolo da queixa-crime entregue à Procuradoria Geral de República denunciando os esquemas de corrupção de Cabral e seu grupo, além de empresários e autoridades
Garotinho, em 2012, apresenta documentos sobre corrupção de Cabral à CPI do Cachoeira; abaixo protocolo da queixa-crime entregue à Procuradoria Geral de República denunciando os esquemas de corrupção de Cabral e seu grupo, além de empresários e autoridades



Há mais de oito anos, Garotinho, aqui no blog vem denunciando a roubalheira de Sérgio Cabral e sua turma. Em 2012, o Brasil descobriu as farras de Cabral e sua Gangue dos Guardanapos na Europa, com imagens e vídeos, através do blog. Nesse mesmo ano Garotinho entregou à CPI do Cachoeira documentos sobre o esquema de Cabral com a Delta, de Fernando Cavendish, além do envolvimento de Wilson Carlos, Hudson Braga, o Braguinha e outros personagens presos hoje ou levados sob condução coercitiva. No último dia 4 de novembro, Garotinho protocolou queixa-crime na Procuradoria Geral da República, com mais de mil páginas, apresentando provas da corrupção de Cabral, Adriana Ancelmo e o mesmo grupo preso hoje. Todas as denúncias envolvendo esses personagens e seus esquemas ficaram comprovadas na operação de hoje.

Sérgio Cabral com Adriana Ancelmo e seu anel de R$ 800 mil (Imagem divulgada pelo Blog do Garotinho em 2012)
Sérgio Cabral com Adriana Ancelmo e seu anel de R$ 800 mil (Imagem divulgada pelo Blog do Garotinho em 2012)


Em diversas postagens, o escritório de advocacia de Adriana Ancelmo, que foi conduzida coercitivamente para depor hoje, foi denunciado pelos seus negócios com a Delta e empresas prestadoras de serviço e concessionárias do Estado, num esquema de lavagem de dinheiro.

Nesta postagem vocês vão ver que matéria da Veja confirmou várias denúncias feitas pelo Blog do Garotinho sobre o escritório de Adriana Ancelmo

Wilson Carlos ao lado de uma Ferrari em Paris  (Imagem divulgada pelo Blog do Garotinho em 2012)
Wilson Carlos ao lado de uma Ferrari em Paris (Imagem divulgada pelo Blog do Garotinho em 2012)


Há mais de seis anos foi denunciado o recebimento de propinas por Wilson Carlos, descoberto por promotores paulistas na Operação Castelo de Areia, mas nenhuma investigação foi adiante.

Em 2010, apareceu uma conta de Wilson Carlos em Hong Kong

Hudson Braga, o Braguinha, braço-direito de Pezão
Hudson Braga, o Braguinha, braço-direito de Pezão


Outro preso hoje, Hudson Braga, o Braguinha, pouca gente conhece, mas foi braço-direito de Pezão na secretaria de Obras, que viria assumir quando o então vice-governador foi promovido por Cabral a secretário-executivo do governo. Há muito tempo revelamos esquemas do Braguinha, como no exemplo que pode ser visto abaixo.

Um negócio imobiliário de Braguinha

Mauricinho Cabral, irmão de Cabral (à esquerda), com Carlos Emanuel Miranda, o principal laranja do ex-governador
Mauricinho Cabral, irmão de Cabral (à esquerda), com Carlos Emanuel Miranda, o principal laranja do ex-governador


Desde 2013 foi revelada sociedade de Carlos Emanuel Miranda, codinome Avestruz, preso na operação de hoje, com Cabral e seu irmão, Mauricinho Cabral (ambos na foto acima). O Avestruz é o principal laranja de Cabral. Já Mauricinho operou, por baixo dos panos, sem cargo no governo, os milhões da publicidade.

A sociedade de Carlos Emanuel com Cabral

Denúncia sobre o irmão de Cabral, de 2010

Paulo Fernando Magalhães Pinto, ex-assessor e laranja de Cabral
Paulo Fernando Magalhães Pinto, ex-assessor e laranja de Cabral


Mais um personagem revelado pelo blog, Paulo Fernando Magalhães Pinto, assessor especial e laranja de Cabral.

Os negócios de Paulo Magalhães Pinto

Luiz Carlos Bezerra (à esquerda) em Cannes (França) brindando com champanhe ao lado de Cabral e Adriana Ancelmo (Imagem revelada pelo Blog do Garotinho em 2012)
Luiz Carlos Bezerra (à esquerda) em Cannes (França) brindando com champanhe ao lado de Cabral e Adriana Ancelmo (Imagem revelada pelo Blog do Garotinho em 2012)


Luiz Carlos Bezerra, assessor de Paulo Melo, quando era presidente da ALERJ, acompanhava Cabral nas suas farras na Europa. Era distribuidor de propina.

Esses são os principais personagens atingidos pela operação de hoje, que se limitou ao esquema de corrupção envolvendo a Andrade Gutierrez, Carioca Engenharia e Delta. Mas há outras empreiteira, além de outros esquemas de corrupção, como podem conferir no link abaixo.

E vejam a postagem de 3 de junho deste ano, onde Garotinho revela outros esquemas de corrupção, além das empreiteiras

A imprensa do Rio sempre ignorou as denúncias. Quase nada foi investigado, mas agora tudo está comprovado.