Tendo em vista a medida arbitrária, covarde e ilegal adotada contra o nosso presidente estadual, o ex-governador Garotinho, vem o Diretório Estadual a público esclarecer os seguintes fatos:

1 – O ex-governador Garotinho não está sendo acusado de enriquecimento ilícito ou qualquer ato de corrupção, diferente do que ocorre com o ex-governador Sérgio Cabral.

2 – A medida ilegal adotada fere o Estado Democrático de Direito e é fruto de uma perseguição pelas denúncias que Garotinho vem fazendo contra a quadrilha que se instalou no Governo do Estado durante os governos Sérgio Cabral e Pezão, e que infelizmente tem tentáculos em outros poderes.

3 – No dia 4 de novembro Garotinho protocolou na Procuradoria Geral de República notícia-crime com amplo material denunciando mais de uma dezena de políticos e outras autoridades envolvidas com corrupção durante a gestão Sérgio Cabral / Pezão, que causou a prisão de alguns, mas infelizmente outros ainda permanecem soltos. O ex-governador tinha agendado para o próximo dia 24 audiência com o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot para entregar novos documentos que comprovam de forma irrefutável o envolvimento de outras autoridades estaduais envolvidas em diversos crimes, além das mencionadas na representação protocolada no último dia 4.

4 – É lamentável o tratamento jornalístico dado ao caso de Garotinho por vários veículos de comunicação, que tentam colocá-lo na mesma situação do ex-governador Sérgio Cabral. A acusação contra Garotinho é de crime eleitoral, não de corrupção. Além disso, foi Garotinho quem denunciou Sérgio Cabral.

Diretório Estadual do PR-RJ


Por Luis Filipe Melo