Reprodução do Extra
Reprodução do Extra



Centenas de policiais militares e agentes da Força Nacional de Segurança cercam a ALERJ para evitar invasões nas manifestações dos servidores. O Governo do Estado não tem dinheiro para fornecer a alimentação, por isso ficou acertado que a Assembleia Legislativa assumiria a responsabilidade. Agora vejam a quentinha que é fornecida aos policiais. Um monte de arroz, sem feijão e meia-dúzia de pedacinhos de frango e linguiça. Uma humilhação. Será que Jorge Picciani comeria essa quentinha? Agora pasmem, a ALERJ paga por cada uma dessas quentinhas muquiranas R$ 15,80. Isso não vale nem R$ 10. É uma indecência!