Reprodução do Zero Hora
Reprodução do Zero Hora



A grande verdade é que o governador Pezão tentou passar a perna no governo. Foi para a Câmara negociar com os deputados para que o projeto de refinanciamento das dívidas dos estados não tivesse nenhuma contrapartida, ou seja, aprovaram um cheque em branco. Com isso Pezão pretendia mais uma vez fugir do corte de gastos do seu governo e continuar a farra das isenções fiscais. Os deputados fizeram média com os governadores, mas o Palácio do Planalto vai acabar com a festa. Para ajudar o Rio e outros estados com as finanças devastadas haverá a exigência de contrapartidas. Com isso o contrato entre a União e o Estado do Rio só deverá ser sacramentado em fevereiro. A "esperteza" de Pezão atrasou ainda mais o socorro ao nosso estado. Aliás, Pezão deveria ter se empenhado para garantir uma ajuda do governo federal para o 13º salário dos servidores. Essa possibilidade chegou a ser aventada pela Fazenda, mas Pezão só arregaçou as mangas para tentar se dar bem. Mais uma burrice e uma furada.