Pezão, Eduardo Paes e Carlos Arthur Nuzman
Pezão, Eduardo Paes e Carlos Arthur Nuzman



É mais uma vergonha. Estamos a quatro dias da virada do ano e ninguém prestou contas de nada. Nem Eduardo Paes (Empresa Olímpica Municipal), nem Carlos Arthur Nuzman (Comitê Organizador Local), nem Leonardo Picciani (Autoridade Pública Olímpica), muito menos Pezão (isenções fiscais e obras). É uma vergonha. As únicas coisas que sabemos é que houve uma roubalheira sem tamanho, o rombo é milionário, mas ninguém quer saber de transparência. E a Câmara de Vereadores do Rio, a ALERJ e a Câmara dos Deputados não querem saber de investigar nada. O legado olímpico foi para o bolso da mesma turma de sempre e fica tudo por isso mesmo.