Os acontecimentos de 2016 evidenciaram que o PMDB-RJ foi para o fundo poço, mas o pior é que levaram o Estado junto. Pezão concluiu o trabalho de Cabral quebrando o nosso estado. Eduardo Paes viu seu "queridinho", Pedro Paulo, sofrer uma derrota acachapante e nem ir para o 2º turno. E Cabral e Adriana Ancelmo, quem diria, acabaram em Bangu. Mas podemos dizer que nessa área o ano de 2016 ainda não terminou. O segundo capítulo vai se desenrolar agora em 2017 quando veremos outros nomes importantes do PMDB-RJ serem presos e/ou serem destronados. Quem viver verá...