Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247



Janeiro é mês de férias e o Congresso está de recesso. Mas em fevereiro com a retomada da atividade política devem voltar com força os protestos "Fora Temer". As reformas trabalhista e previdenciária serão o mote para centrais sindicais e movimentos sociais irem para a rua. O Palácio do Planalto receia que nessa onda embarquem os desempregados e a classe média, principalmente. Com a popularidade cada vez mais baixa e a falta de confiança no governo Temer o clima é propício para ressuscitar as manifestações por todo o país. Esse é um sério risco que Temer terá que enfrentar. Por isso está investindo em publicidade, mas isso não vai resolver o problema.