Reprodução do Diário do Poder
Reprodução do Diário do Poder



Essa ação de Eduardo Cunha no STF para anular sua cassação e reaver o mandato não tem a menor chance prosperar. É jogo perdido antes de entrar em campo. Porém há quem diga o mesmo não pode ser dito sobre o pedido de habeas corpus que o mesmo Supremo julgará no próximo dia 8 de fevereiro. Cunha tem mandado através de sua mulher recados claros ao Palácio do Planalto. Se não conseguir o habeas corpus vai aderir à delação premiada. O objetivo é fazer Temer e seus principais homens de confiança pressionarem ministros do STF, usando a história de que uma delação de Cunha pode criar uma crise institucional. Se vai conseguir ou não o habeas corpus só vamos saber no dia 8 de fevereiro.