Reprodução do G1
Reprodução do G1



Bem, nem vou me dar ao trabalho de comentar essa postagem do deputado Major Olímpio (SD-SP) estimulando mais chacinas nos presídios, é fruto daquele pensamento de que os presos se matando uns aos outros a situação vai melhorar.

O que quero chamar a atenção é que muito está se discutindo a construção de novos presídios, a realização de um censo penitenciário, mas o principal problema da guerra de facções criminosas, está fora dos muros das prisões. Essa guerra decorre da disputa comercial da venda de drogas, principalmente cocaína, maconha e crack.

Se não se melhorar a vigilância das fronteiras com nossos vizinhos e não se combater os atacadistas de droga qeu atuam internamente não vai se chegar a lugar nenhum. É ilusão acreditar que prender o "chefe" de uma comunidade vai alterar alguma coisa na estrutura do tráfico. Peguem o exemplo do Estado do Rio de Janeiro. Quantos traficantes atacadistas foram presos nos últimos anos? Até mesmo os "chefes" das principais comunidades ficaram impunes, graças à política de José Mariano Beltrame de não prender os traficantes, apenas fazendo com que mudassem de endereço, avisando inclusive o dia das operações policiais.

É urgente uma política integrada da segurança pública envolvendo os órgãos federais e estaduais. O que está sendo feito hoje marketing de um lado e enxugar gelo do outro. A questão dos presídios, claro, tem que ser enfrentada, mas está longe de ser o problema central.