Reprodução do G1
Reprodução do G1

A Polícia Federal indiciou hoje Sérgio Cabral, Eike Batista, Maurício Cabral (irmão do ex-governador) e Susana Neves Cabral (ex-mulher) no inquérito da Operação Eficiência, além de membros da quadrilha já presos na Operação Calicute. Vejam a relação de indiciados na Operação Eficiência.

Por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa:
- Sérgio Cabral, ex-governador (preso)
- Wilson Carlos Cordeiro da Silva Carvalho, ex-secretário de Governo (preso)
- Carlos Emanuel de Carvalho Miranda, o Avestruz, suspeito de ser operador do esquema (preso)
- Luiz Carlos Bezerra, suspeito de ser operador do esquema (preso)

Por lavagem de dinheiro e organização criminosa:
- Sérgio de Castro Oliveira, Serjão, suspeito de ser operador do esquema (preso)
- Álvaro José Galliez Novis, doleiro (preso)
- Thiago de Aragão Gonçalves Pereira e Silva, ex-sócio de Adriana Ancelmo, mulher de Cabral (preso)
- Francisco de Assis Neto, Kiko, suspeito de ser operador do esquema (preso)
- Mauricio de Oliveira Cabral Santos, irmão de Cabral, suspeito de receber dinheiro advindo do esquema de propina (solto)

Por organização criminosa:
- Eike Batista, empresário suspeito de pagar propina (preso)
- Flávio Godinho, ex-sócio de Eike (preso)

Por lavagem de dinheiro:
- Susana Neves Cabral, ex-mulher de Cabral, suspeita de receber dinheiro de advindo do esquema de propina (solta)

Só para vocês se situarem, Cabral e parte da sua quadrilha já são réus no processo da Operação Calicute, aliás, como podem conferir abaixo, o ex-governador é réu 49 vezes por corrupção passiva, 164 vezes por lavagem de dinheiro.

1) Sérgio Cabral - Apontado como o comandante do esquema criminoso que teria desviado ao menos R$ 224 milhões. Ele foi denunciado pelos crimes de corrupção passiva (49 vezes), lavagem de dinheiro (164 vezes) e quadrilha e organização criminosa (1).

2) Adriana Ancelmo - Mulher do ex-governador. Contratos de seu escritórios de advocacia com empresas que receberam incentivos fiscais do governo do Rio estão sob suspeita. Ela foi denunciada pelos crimes de lavagem de dinheiro (111 vezes) e quadrilha e organização criminosa.

3) Wilson Carlos - Wilson Carlos Cordeiro da Silva de Carvalho aparece nas investigações como o articulador de pagamentos a Cabral. Ele foi denunciado pelos crimes de corrupção passiva (49 vezes), lavagem de dinheiro (2 vezes) e quadrilha e organização criminosa (1).

4) Hudson Braga - Hudson Braga, considerado o homem forte da área de obras do governo Cabral. Segundo as investigações, ele usou empresas criadas em seu nome e em nome de parentes para receber dinheiro por meio de contratos simulados de prestação de serviços. Ele foi denunciado pelos crimes de corrupção passiva ( 25 vezes), lavagem de dinheiro (5 vezes) e quadrilha e organização criminosa.

5) Carlos Emanuel de Carvalho Miranda - Tinha papel central no esquema do governo Cabral, segundo as investigações. Ele corria as empresas para cobrar a fatura pelos contratos, aditivos e outros repasses. Recebia o dinheiro e forjava contratos de sua empresa com as empreiteiras para justificar patrimônio. Ele foi denunciado pelos crimes de corrupção passiva (24 vezes), lavagem de dinheiro (152 vezes) e quadrilha e organização criminosa (1).

6) Luiz Carlos Bezerra - Apontado como um dos operadores de Cabral no esquema na ausência de Miranda. Ele foi denunciado pelos crimes de lavagem de dinheiro (110 vezes) e quadrilha e organização criminosa (1).

7) Wagner Jordão Garcia - Um dos operadores ligados ao ex-secretário Hudson Braga. Ele foi denunciado pelos crimes de corrupção passiva (25 vezes), lavagem de dinheiro (1) e quadrilha e organização criminosa (1).

8) Pedro Ramos de Miranda - Assessor pessoal de Cabral, bombeiro atuava também como motorista e frenquentemente recolheia joias para o ex-governador e a mulher. Ele foi denunciado pelos crimes de lavagem de dinheiro (64 vezes) e quadrilha e organização criminosa (1).

9) Paulo Fernando Magalhães Pinto - Apontado como "laranja" de Cabral. Ele é suspeito de ser "testa de ferro" do ex-governador na compra de uma lancha avaliada em R$ 5 milhões. Ele foi denunciado pelos crimes de lavagem de dinheiro (49 vezes) e quadrilha e organização criminosa (1).

10) José Orlando Rabelo - Outro operador ligado ao ex-secretário de Obras Hudson Braga. Ele foi denunciado pelos crimes de lavagem de dinheiro (3 vezes) e quadrilha e organização criminosa (1).

11) Luiz Paulo Reis - Apontado como "laranja" e sócio do ex-secretário de Obras Hudson Braga. Ele foi denunciado pelos crimes de lavagem de dinheiro (5 vezes) e quadrilha e organização criminosa (1).

12) Carlos Jardim Borges - Proprietário do Condomínio Resort e PortoBello, em Mangaratiba. É acusado de fazer contratos fictícios com o escritório de Adriana Ancelmo. Ele foi denunciado pelos crimes de lavagem de dinheiro (3 vezes) e quadrilha e organização criminosa (1).

13) Luiz Alexandre Igayara - Dono da empresa Reginaves, também acusado de fazer contratos fictícios com o escritório de Adriana Ancelmo. Ele foi denunciado pelos crimes de lavagem de dinheiro (3 vezes) e quadrilha e organização criminosa (1).

Portanto a situação de Cabral e sua quadrilha só vai se agravando, mas estejam certos que ainda ficará muito pior com o que ainda virá à tona.