Aécio Neves e Michel Temer
Aécio Neves e Michel Temer

Chega a ser curiosa o súbito interesse do PMDB e do PSDB pelo Ministério da Justiça. Quererem um ministério, isso é normal, mas o tradicional é disputarem ministérios de maior visibilidade e que gerem votos nos estados. A Justiça está fora desse critério. Mas em tempos de Lavao Jato o Ministério da Justiça passou a ser cobiçado, afinal comanda a Polícia Federal. E os tucanos querem porque querem a Justiça. Alexandre de Moraes, que deixou o cargo por ser indicado ao STF era filiado ao PSDB, mas era da ala Alckmin. Agora Aécio tomou a frente. Primeiro indicou seu advogado, o ex-ministro do STF, Carlos Velloso, que ontem agradeceu o convite de Temer, mas recusou o cargo por questões familiares e profissionais. Por isso Aécio agora tenta emplacar o vice-Procurador Geral da República, José Bonifácio de Andrada, que foi Advogado-Geral do Estado de Minas Gerais na época em que o tucano governou o estado.

Temer vai ter que dar outro ministério como prêmio de consolação para o PMDB. Já para secretário Nacional de Segurança Pública caiu na bolsa de apostas o nome de Beltrame, que era indicado pelo PMDB-RJ, preocupado com as investigações no Rio, e com o apoio de uma parte poderosa da mídia. Em Brasília é dado como certo o criminalista paulista Antônio Claúdio Mariz, amigo de Temer.