Reprodução do Diário do Poder
Reprodução do Diário do Poder

O ministro do TSE, Herman Benjamin, relator do processo que pede a cassação da chapa Dilma - Temer deve concluir seu relatório até o final de março e distribuí-lo aos seus colegas da corte. A partir daí caberá ao presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes marcar a data do julgamento. O ministro Herman Benjamin decidiu incluir no processo a delação da Odebrecht, que era o que o Palácio do Planalto mais temia. Está cada vez mais distante a possibilidade do TSE analisar as contas eleitorais de Temer em separado das de Dilma, como pretende a defesa do atual presidente da República. A pressão toda agora será para atrasar ao máximo o julgamento no TSE.

Ninguém sabe o que acontecerá no julgamento, mas a ironia do destino é que caso a chapa seja cassada, isso acontecerá por iniciativa do PSDB, no momento fiel aliado de Temer. Será o caso de se dizer que os tucanos atiraram no que viram, Dilma, mas acertaram também no que não viram, o governo Temer.