Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online

O caso é de 2015 e foi denunciado pelo CREMERJ (Conselho Estadual de Medicina), relativo a não ter cumprido o gasto mínimo constitucional com a saúde, que deveria ter provocado a cassação de Pezão, mas sequer foi investigado. O Procurador Geral de Justiça do Estado havia decidido arquivar o caso, mas em dezembro o Conselho Superior do MP-RJ derrubou a decisão. Bem, no ano passado (2016) Pezão fez a mesma coisa. Ontem o MP Estadual ajuizou ação civil pública por improbidade administrativa contra Pezão. O caso correrá no TJ-RJ. É mais uma encrenca para o desgovernador do Rio, cada vez mais desmoralizado. Aliás, o deputado estadual Jorge Felippe Neto (DEM), neto do presidente da Câmara de Vereadores, Jorge Felippe (PMDB), definiu a situação do desgovernador: "Pezão não pode sair na rua, corre o risco de ser linchado".