Reprodução do blog de Lauro Jardim, do Globo
Reprodução do blog de Lauro Jardim, do Globo

Aleluia! Esse processo deu entrada, pelas mãos do CREMERJ (Conselho Regional de Medicina) em 2015. Passou um ano na gaveta, foi arquivado pelo Procurador Geral de Justiça do Estado, mas no final do ano passado foi reaberto por decisão do Conselho Superior do MP-RJ. Cansei de falar aqui que o não cumprimento do mínimo de gastos na Saúde é crime previsto na Constituição, mas foi preciso o Rio de Janeiro quebrar para o MP Estadual agir. Antes tarde do que nunca. O pedido de afastamento de Pezão o enfraquece ainda mais, mas ele vai se agarrar ao cargo o máximo que puder. Não quer perder o foro privilegiado de governador no STJ, ainda mais quando sabe que delações premiadas da Operação Calicute vão atingi-lo em cheio. Se perder o foro privilegiado cai nas mãos de Marcelo Bretas e Sérgio Moro, igual a Sérgio Cabral.