A corrupção da quadrilha de Cabral, segundo o maior jornal francês, Le Monde, chegou aos membros do Comitê Olímpico Internacional através de um personagem muito conhecido aqui no blog: o empresário Arthur Cesar de Menezes Soares Filho, o Rei Arthur. É escândalo em cima de escândalo, e com os mesmos personagens entrelaçados numa teia de corrupção nunca antes vista na história deste país.