Nota da coluna de Lauro Jardim, do Globo
Nota da coluna de Lauro Jardim, do Globo

Mais uma empreiteira procurou a força-tarefa da Operação Calicute para falar dos negócios e propinas com Sérgio Cabral. Os donos da FW Engenharia, uma das empreiteiras que cresceu num ritmo vertiginoso, como os escritórios de advocacia de Adriana Ancelmo, e do sobrinho e do enteado de Pezão, Jose Ary Lacombe Moreira e Flavio Matos De Werneck decidiram se antecipar a mandados de prisão e estão contando tudo. A empreiteira faturou na verdade R$ 295 milhões, mais que os R$ 250 milhões citados na nota, conforme podem ver na reprodução da denúncia do MPF ao juiz Sérgio Moro. A situação de Cabral e sua quadrilha se agrava a cada dia.

Reprodução de denúncia do MPF ao juiz Sérgio Moro
Reprodução de denúncia do MPF ao juiz Sérgio Moro