Reprodução do site do jornal El País (versão Brasil)
Reprodução do site do jornal El País (versão Brasil)

A ofensiva do Palácio do Planalto, que está investindo dinheiro pesado nas redes sociais, não está dando resultado. Um levantamento feito pela empresa de inteligência digital Veto revela que a situação de Temer, no Facebook e Twitter, é pior que a de Dilma perto do seu afastamento. De todas as postagens que citam Temer nas duas redes sociais, 89% foram negativas, incluindo pessoas que têm perfil de direita e que seguem e curtem o que, por exemplo, Jair Bolsonaro e Aécio Neves postam. Somente 11% dos comentários e postagens foram positivos a Temer. No pior momento de Dilma, nas vésperas do impeachment, as postagens negativas atingiram 80%.

E convenhamos, com postagens como a que o PMDB fez, ameaçando o fim do Bolsa-Família, do FIES e outros programas sociais, caso a reforma da Previdência não seja aprovada, com essa estratégia Temer não vai melhorar nas redes sociais.