Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online

Vocês devem estar lembrados que falei aqui no blog que o Palácio do Planalto estava fazendo agrados a Eduardo Cunha por medo de uma delação premiada com que ele vem ameaçando o presidente Michel Temer. Me referi às escolhas de dois aliados, Osmar Serraglio (PMDB-PR) para o Ministério da Justiça, e André Moura (PSC-SE) para a Liderança do Governo no Congresso. Ontem Renan Calheiros soltou o verbo com Moreira Franco dizendo que o grupo de Cunha está tomando de assalto o núcleo político do governo. Citou os casos que eu mencionei e ainda colocou a escolha do deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) como Líder do Governo na Câmara na conta de Eduardo Cunha. Renan Calheiros virou uma pedra no sapato de Michel Temer porque está vendo Eduardo Cunha, da prisão, no Paraná, mandar mais no governo do que ele que é senador. O clima dentro do PMDB é de rebelião, aliás, mais tarde falarei mais disso.

Não custa lembrar que Cunha já havia imposto a Temer a nomeação de seu antigo assessor especial, Gustavo Vale Rocha, como chefe da Assessoria Jurídica da Casa Civil do Palácio do Planalto. A força de Cunha está no medo que Temer tem dele por tudo o que sabe e pode contar. E assim segue o governo sendo chantageado por Cunha mesmo atrás das grades.