O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra (PMDB-RS) quer incentivar os beneficiários do Bolsa Família a procurarem emprego formal no mercado de trabalho. Não sou contra a iniciativa, muito pelo contrário. A função dos programas de renda mínima não é remunerar a ociosidade e sim amparar quem não tem condição de se sustentar. Mas para quem tem saúde e condições de trabalhar deve haver uma porta de saída. A ideia é garantir o Bolsa Família por mais dois anos a quem arrumar emprego formal de até 5 salários-mínimos.

Só tem um problema. Não estamos numa fase de pleno emprego, muito pelo contrário. Temos mais de 13 milhões de brasileiros procurando emprego, mas sem conseguir. Não estou falando de desempregados, que são mais de 20 milhões, estou me referindo aos que procuram, vão atrás de vagas no mercado de trabalho.

É elementar que essa ideia do governo Temer não vai ter efeito prático nenhum agora, só pode funcionar mais tarde quando a nossa economia voltar a ter um ciclo virtuoso.