Marco Antonio Cabral e Pedro Paulo
Marco Antonio Cabral e Pedro Paulo

Uma situação que ninguém tem coragem de falar, mas que tem influência negativa na crise cada vez mais profunda do Estado do Rio de Janeiro é o nível muito baixo da bancada federal fluminense. A máquina milionária do PMDB, com o dinheiro das propinas, apoiou candidatos, inclusive de outros partidos, que estão no mesmo patamar de incompetência do governo Pezão. Dos 46 deputados federais do Rio de Janeiro muito poucos, bem menos que a metade, realmente entendem alguma coisa do processo legislativo e são combativos. E menos ainda defendem pra valer os interesses do povo fluminense. Nunca antes na história do nosso estado se viu uma bancada tão fraca.

Vejam o exemplo dos representantes diretos de Cabral e Eduardo Paes. Tanto Marco Antonio Cabral como Pedro Paulo são dois zeros à esquerda, completamente inoperantes, não defendem bandeira nenhuma, não participam ativamente de nada, como se diz popularmente "não fedem nem cheiram".

Em tempo: Nos dicionários, o significado da expressão "zero à esquerda" retrata fielmente Marco Antonio e Pedro Paulo: "Pessoa sem graça e geralmente sem opinião que, em uma equipe de trabalho ou roda de amigos, não acrescenta nada à conversa. Referente aos números fracionários decimais, onde o zero que fica à esquerda da vírgula não acrescenta nada ao número, em termos de valor."