O governador Pezão não vai estar presente à cerimônia que acontecerá amanhã no Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro, às 15 horas, quando serão devolvidos ao Estado do Rio R$ 250 milhões roubados pela quadrilha de Sérgio Cabral. O Procurador Geral da República, Rodrigo Janot estará presente, mas Pezão inventou uma desculpa, disse que precisa ir a Brasília negociar a ajuda fiscal e vai passar longe da cerimônia. Quem o representará será o Procurador Geral do Estado, Leonardo Espíndola.

Enquanto isso nada de Pezão divulgar o calendário do pagamento de fevereiro para mais da metade dos servidores ativos, inativos e aposentados. Já estamos no dia 20 de março e até agora só o pessoal da Educação e da Segurança Pública recebeu o salário de fevereiro. Os aposentados e pensionistas, que o governador sempre deixa por último no calendário de pagamento, desta vez vão ser beneficiados pela decisão do juiz Marcelo Bretas, que direcionou o dinheiro que será devolvido para o pagamento do 13º salário de aposentados e pensionistas que ganham até R$ 3.200. A situação do funcionalismo estadual é cada vez mais desesperadora.