Reprodução do G1
Reprodução do G1

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, esteve no Rio para a formalização da devolução aos cofres públicos de R$ 250 milhões roubados pela quadrilha de Sérgio Cabral e lamentou a crise que o Estado do Rio de Janeiro enfrenta, que reflete em todo o país. Janot afirmou que a única forma de reagir à “insana corrupção que assola o Rio e o Brasil como um todo” é o bom funcionamento das instituições chamadas a fazer frente a corrupção. “A mensagem, o sinal para a população, mais do que R$ 250 milhões, mais do que 147 mil famílias que foram beneficiadas por este ato é de que a institucionalidade funciona, se impõe e reage de forma legal e constitucional”, afirmou o procurador-geral da República. “Esse dinheiro volta para onde nunca deveria ter saído, volta portanto aos cofres públicos, volta portanto a servir, como sempre deveria ter feito, à sociedade do Estado do Rio de Janeiro”, concluiu.

Os procuradores da Lava Jato no Rio reforçaram o que venho sustentando quase todos os dias, que ainda falta encontrar muito dinheiro que Cabral tem escondido no exterior, uma fortuna milionária. E insisto, se chegarem a todos os integrantes da quadrilha de Sérgio Cabral e ao que roubaram, o montante chegará a US$ 3 bilhões.