Reprodução do Extra online
Reprodução do Extra online

É fato incontestável que em 2015, assim como se repetiu em 2016, que o governo Pezão não cumpriu os gastos mínimos constitucionais com a saúde. Isso por si só é crime de responsabilidade, que deveria levar ao impeachment do governador. Aliás, o MP Estadual ingressou com ação na Justiça pedindo o afastamento de Pezão por esse exato motivo. Mas na Comissão de Orçamento da ALERJ as contas de Pezão, relativas a 2015, foram aprovadas por 5 votos a 2. Agora vão para o plenário onde, podem apostar, serão aprovadas tranquilamente, afinal a distribuição de cargos e vantagens aos deputados garantem ao governador maioria confortável, mesmo com tudo de errado que fez. É vergonha! Ontem na cerimônia de devolução do dinheiro roubado por Sérgio Cabral (a parte já recuperada), o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que "o Rio de Janeiro está de joelhos", numa referência à corrupção que tomou conta do nosso estado. Pois essa frase se encaixa perfeitamente para situação da ALERJ, que também "está de joelhos", aos pés do governador Pezão. Uma vergonha!