Reprodução do Extra online
Reprodução do Extra online

Oitenta e cinco anos depois de Getúlio Vargas ter criado a carteira de trabalho e garantido direitos dos trabalhadores, a Câmara dos Deputados aprovou ontem a liberação da terceirização e ampliou os contratos temporários de 90 para 180 dias, com possibilidade de prorrogação por mais 90 dias. O governo diz que isso vai criar novos empregos, mas especialistas alertam que não é bem assim. Com menos direitos trabalhistas para os terceirizados muitas empresas poderão escolher o caminho de demitir quem tem carteira assinada e partir para a terceirização. O que o governo comemora como avanço, na verdade é um retrocesso. E agora os deputados vão votar outras medidas que podem afetar direitos universais dos trabalhadores, como férias, licença-maternidade, multa em casos de demissão sem justa causa. É o governo Temer fazendo o jogo dos empresários e tirando direitos dos empregados.