Eliseu Padilha, Michel Temer e Henrique Meirelles
Eliseu Padilha, Michel Temer e Henrique Meirelles

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles anunciou o rombo de mais de R$ 58 bilhões e declarou que o aumento de impostos "é uma boa possibilidade". Todo mundo, inclusive os aliados do governo, dava como certo que Meirelles anunciaria o aumento de impostos. Mas usou-se o argumento de que o governo quer primeiro analisar os cortes nos gastos de cada ministério. A justificativa não é verdadeira. O Palácio do Planalto e a equipe econômica já acertaram o aumento de impostos, e isso já foi comunicado a aliados de peso no Congresso. Mas domingo estão programadas manifestações nas capitais e grandes cidades de todo o país para defender a Lava Jato. O núcleo duro do governo já está apreensivo sobre a dimensão que o "Fora Temer" terá nos atos pelo país a fora. Ainda que os organizadores não tenham incluído na pauta protestos contra o governo não há como controlar a massa. O "Fora Temer" poderá ser maior ou menor, mas será inevitável. O anúncio esta semana do aumento de impostos só inflaria os protestos contra Temer. Por isso ficou para a próxima semana.