Reprodução da Folha de S.Paulo
Reprodução da Folha de S.Paulo

Tenho escrito aqui no blog, que a economia brasileira segue mal, não está avançando, nem o desemprego diminuiu. O contrário do que dizem as propaganda do governo Temer, mas que comentaristas econômicos, que agem como porta-vozes oficiosos, insistem em repetir enganando a opinião pública. O crescimento do desemprego, de dezembro a fevereiro, só confirma que Temer segue os passos de Sérgio Cabral, no caso da "pacificação" e das UPPs, e se agarra ao marketing para tentar iludir a população. No início de março o presidente Michel Temer comemorou: "Economia está numa onda excepcional". O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles anunciou oficialmente o fim da recessão. Mas pelos índices da última pesquisa do Ibope, onde Temer tem apenas 10% de aprovação, está claro que o marketing não vai resolver os problemas de Temer. Aliás, vale a pena lerem o artigo de Jânio de Freitas, colunista da Folha de S.Paulo que fala da crise, dos erros do governo e da proteção da imprensa e da TV a Temer.

Reprodução da Folha de S.Paulo
Reprodução da Folha de S.Paulo