Reprodução de O Dia
Reprodução de O Dia

E mais uma vez caímos naquela história de que não há nada que esteja tão ruim que não possa piorar. Todo mundo sabe que o Estado do Rio de Janeiro está completamente à deriva. Mas quem está no leme não é o governador Pezão, e sim o presidente da ALERJ, Jorge Picciani, que, como tenho dito, é o governador de fato, embora não de direito. Agora imaginem se Jorge Picciani tiver que se licenciar para tratar o câncer, como vem sendo noticiado. O 1º vice-presidente é Wagner Montes (PRB), que também está hospitalizado. Assumirá então André Ceciliano (PT), que apesar de votar com o governo, inclusive na venda da CEDAE, não é tido como confiável pelos aliados próximos de Pezão, além de não ter nem de perto a influência junto aos colegas que o poderoso Picciani tem, nem mesmo chega perto da força de Wagner Montes. O caos vai ser ainda maior.