Reprodução do Diário do Poder
Reprodução do Diário do Poder

A decisão de ontem do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados é mais uma vergonha. Aliás, nada mais nos surpreende nesse conselho depois das manobras vergonhosas que assistimos no caso da cassação de Eduardo Cunha. Ora, o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) cuspiu na cara do seu colega Jair Bolsonaro (PSC-RJ) na votação do impeachment de Dilma. O caso foi para o Conselho de Ética, o relator Ricardo Izar (PP-SP) pediu a suspensão do mandato de Wyllys por um mês, mas no final por 9 votos a 4 venceu a tese do deputado Júlio Delgado (PSB-MG) e a punição ficou numa advertência. Venceu o argumento de que "a cusparada não foi premeditada". É patético!