Reprodução do Extra online
Reprodução do Extra online

Todo mundo sabe que Pezão tem pés grandes, daí vem o apelido. Mas segundo a delação da Odebrecht também tem "mãozão", ou, como eu já o chamei aqui no blog, é o Mão Grande. Recebia parte da propina em dinheiro vivo entregue em mãos. Outra parte foi depositada em contas no exterior. Segundo a Operação O Quinto do Ouro também teria usado R$ 900 mil de propinas de empresas que fornecem alimentação para os presídios em despesas pessoais. E vem de conversa fiada dizendo, como no depoimento à Justiça Federal, que nunca ouviu Cabral falar em propinas. Sempre disse que ele participou do esquema de Cabral. Agora isso está mais do que claro.