Mais uma vez o RJ TV da Globo mostrou a gravação de uma delator da Odebrecht sobre doação de campanha para mim e Rosinha. Desta vez foi o senhor Leandro Azevedo e, como o anterior, Benedicto Júnior, negou qualquer favorecimento a mim e à Rosinha, fraude na obra ou na licitação. Veja a transcrição do que o Benedicto Júnior falou ontem quando foi interrogado pelo Ministério Público:

Pergunta: Houve algum benefício concreto do senhor Anthony Garotinho para a Odebrecht?
Benedicto: "Pedidos por nós não. Nós acabamos conquistando no mercado foi uma obra de construção de casas populares em Campos".
Pergunta: Mas houve algum benefício?
Benedicto: "Não. Que eu saiba não. Tratados comigo, não".
Pergunta: Houve algum tipo de fraude?
Benedicto: "Não. Leandro me disse que não houve nenhuma fraude".
Pergunta: Algum benefício concreto da senhora Rosinha para Odebrecht?
Benedicto: "Não".
Pergunta: E da senhora Clarissa?
Benedicto: "Também não. A Clarissa eu só encontrei uma vez. Também não. Nenhum.
Pergunta: Nenhum benefício concreto dela?
Benedicto: " Não, nenhum".

Hoje a novela se repetiu. Nenhum documento foi apresentado. Repetiu que o apoio à minha candidatura era importante porque era a única oposição real a Cabral no Estado e que jamais recebeu propina. Ele, porém, aumentou os números das supostas doações que o seu chefe teria autorizado. Ou seja, nem eles sabem ou têm controle se o que estão falando é verdade ou não. Reafirmo: eu e Rosinha nunca recebemos nenhuma doação ilegal da Odebrecht.

Compreendo a indignação das pessoas ao tomarem conhecimento dessas versões falsas, mas faça o raciocínio lógico e frio. Eu que venho há dez anos denunciando as maracutaias de Cabral com a Odebrecht e outras empreiteiras seria louco de fazer a mesma coisa? Não seria mais lógico aproveitar o momento em que quase todos os políticos do Brasil estão enrolados com a Odebrecht para se vingar do Garotinho?

Não temo o julgamento da Justiça porque sei que lá será provado que não cometi nenhum crime mas receio que as pessoas, vendo o noticiário, não separem quem agiu de maneira honesta e aqueles que roubaram o dinheiro público e enriqueceram.

Já mostraram a conta de Eduardo Paes onde o dinheiro foi depositado no exterior.
Já mostraram a conta onde era depositada a propina do Metrô para Júlio Lopes no exterior.
Já mostraram as contas com depósitos milionários no exterior de Aécio Neves, José Serra, Eduardo Cunha, Sérgio Cabral, Pezão, Picciani e outras centenas de políticos.
Agora eu pergunto a você: Cadê as minhas contas no exterior?
Mostraram as mansões de Cabral e vários políticos. As fazendas de Picciani e vários políticos. A riqueza e a ostentação de centenas de políticos.
O que mostraram de mim até agora?

Sei que nessas horas o mais simples é achar que todo mundo é igual. Aliás, um jornalista da Globo News disse ontem à noite uma espécie de senha para o que está acontecendo hoje: “É, agora vai ficar ruim do Garotinho ficar denunciando os outros”.

Quem não deve não teme. Tenho consciência que muitos estão torcendo para que eu me acovarde ou me intimide.

Estão perdendo tempo. Não terão prova nenhuma contra mim e eu seguirei denunciando não só a corrupção, mas também a covardia que fizeram com os programas sociais que eu criei como os restaurantes e farmácias populares, os Jovens Pela Paz, o Cheque Cidadão. Todos extintos por essa gente que além de ladrão não gosta do povo.

Continuarei defendendo os servidores, que estão sem salários, combatendo as privatizações e a hegemonia dos bancos na economia brasileira.

Esta, certamente, não é a minha música preferida do Roberto Carlos mas aproveito o refrão para mandar um recado para os que pensam que eu vou me calar: “Pode vir quente que eu estou fervendo!”