Reprodução do Brasil 247
Reprodução do Brasil 247

Direto do presídio em São José dos Pinhais, Eduardo Cunha mandou um bilhete onde refuta a versão de Michel Temer de que sua participação na célebre reunião com a Odebrecht teria se limitado a atender um pedido de aperto de mão dos executivos da empreiteira. Diz Eduardo Cunha que foi Temer que marcou a reunião com a Odebrecht: "A referida reunião não foi por mim marcada. O fato é que estava em São Paulo, juntamente com Henrique Alves e almoçamos os três juntos no restaurante Senzala, ao lado do escritório político dele, após outra reunião e fomos convidados a participar dessa reunião já agendada diretamente com ele". Bem, não posso falar do que aconteceu na reunião, se foi ou não pedida propina de US$ 40 milhões, afinal não estava lá. Só Temer, Cunha, Henrique Eduardo Alves e Márcio Garcia, da Odebrecht podem falar. Mas, como já firmei aqui no blog, soa inverossímil a versão de Temer de que só entrou na reunião para atender um pedido de aperto de mão do executivo da empreiteira.