Reprodução do blog de Lauro Jardim, do Globo
Reprodução do blog de Lauro Jardim, do Globo

Já foram repatriados R$ 270 milhões que Sérgio Cabral e seus operadores tinham em contas no exterior, que diga-se de passagem, é uma quantia irrisória perto do que esconderam, ainda falta encontrar algumas centenas de milhões. Também vão ser devolvidos R$ 150 milhões do esquema de Sérgio Côrtes. E segundo o juiz Marcelo Bretas, entre os bens apreendidos com a quadrilha de Cabral, entre mansões, apartamentos, aeronaves, embarcações, carros de luxo, joias, diamantes, barras de ouro, chegou-se a mais R$ 1 bilhão. Ou seja, já foi achado o equivalente a quase R$ 1,5 bilhão. Mas podem estar certos que ao final das investigações, se tudo for apurado, o somatório do assalto praticado pela quadrilha do ex-governador e seus tentáculos atingirá US$ 3 bilhões, mas claro, que uma parte foi torrada pela vida de milionário que essa gangue levava, e alguns ainda continuam usufruindo.

Aliás, uma coincidência em cima da comparação que é feita nos bastidores do STF entre Cabral e o narcotraficnate colombiano Pablo Escobar, morto pela polícia em 1993. Escobar construiu um presídio cheio de luxos para si próprio, era chamado de La Catedral. Aqui no Rio, Pezão está construindo um presídio vip para seu ex-chefe, ou, como dizem as más línguas, já pensando no próprio futuro.