Reprodução da Folha de S.Paulo
Reprodução da Folha de S.Paulo

Começa hoje a batalha na Câmara para preservar os direitos dos trabalhadores, que tem como inimigo o governo Temer. O que o governo, liderado pelo PMDB e o PSDB, quer é massacrar o trabalhador, retirar-lhe direitos consolidados na CLT. Faz o jogo da FIESP, FIRJAN e outras entidades empresariais. Se a reforma for aprovada será um grande retrocesso. Ontem, por 27 votos a 10, a comissão especial da Câmara aprovou o texto-base da reforma trabalhista. A votação começa hoje e são necessários 257 votos. Mas ontem o governo sentiu que a base aliada não está tão alinhada como esperava ao rejeitar a obrigação do aumento da contribuição previdenciária para servidores no projeto de recuperação fiscal dos estados. Na sessão de hoje vamos ver quem são os traidores, os inimigos dos trabalhadores.