Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online

A revelação das mensagens trocadas entre Sérgio Côrtes e o empresário Miguel Iskin, ambos presos pela Lava Jato revela bem a personalidade sociopata do ex-secretário de Saúde de Sérgio Cabral. É bom lembrar que Miguel Iskin, o principal empresário do esquema da roubalheira na Secretaria Estadual de Saúde é acusado de pagar mesada de R$ 450 mil a Cabral.

Côrtes diz a Iskin: “Meu chapa, você tenta negociar uma coisa ligada à campanha. Pode salvar seu negócio. Podemos passar pouco tempo na cadeia (...) Mas nossas putarias têm que continuar”.

E sobre as delações: "É o festival de escrotidão que assola o país".

Está claro que Sérgio Côrtes, vizinho de cela de Cabral em Bangu 8, já sabia que não escaparia da cadeia, mas mesmo assim planejava continuar a roubar, acreditando que passaria pouco tempo preso. Só que os planos deram errado a partir da delação do seu ex-braço direito, Cesar Romero. Com certeza Côrtes, notório integrante da Gangue dos Guardanapos passará longo período atrás das grades. Aliás, ontem foi denunciado, junto com Iskin, por obstrução da Justiça.

E pensar que Cabral pretendia que Dilma escolhesse Côrtes como ministro da Saúde!