Reprodução da Folha de S.Paulo
Reprodução da Folha de S.Paulo

Essa é muito boa. O Ministério Público Federal descobriu que enquanto estava presa em Bangu, Adriana Ancelmo movimentou R$ 1,2 milhão de uma conta no banco Itaú, que a Justiça bloqueou. Mas ontem, diante do juiz Marcelo Bretas, a mulher de Cabral garantiu que não colocou a mão no dinheiro, que o montante foi usado para pagar advogados de defesa e despesas do seu escritório. Bem, só faltava mesmo terem levado dinheiro em espécie para Bangu. Se bem que diante de tudo o que já foi relatada sobre a entrada no presídio de comida de restaurantes e visitas sem serem revistadas tudo é possível. Adriana culpou o banco, mas o MPF vai pedir que ela perca direito a prisão domiciliar e seja levada de volta para Bangu. É muita cara de pau.