Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online

Segundo a assessoria de Pezão foram levados do apartamento do Leblon, onde ele não mora, já que há um ano e meio mudou-se para o Palácio Laranjeiras, duas garrafas de uísque, uma manta e uma camisa autografada de Carlos Alberto Torres. A polícia anunciou que tudo foi recuperado. Mas comenta-se nos bastidores que também teriam sido roubados dois computadores.

Bem, para não ficar esse clima de mistério no ar é muito simples. A Coordenadoria Militar do Palácio Guanabara tem câmeras instaladas no prédio do Leblon, inclusive na porta do apartamento de Pezão. Basta liberar as imagens do momento da saída dos ladrões para se saber se foram levados ou não computadores. Mas a segurança não quer mostrar, logo dão margem a que as pessoas suspeitem que há algo mais que está sendo escondido.

Pezão disse ontem que é muito triste o que está acontecendo com o Rio. Ora, muda essa frase, Pezão. Triste e revoltante é o que Pezão e Cabral fizeram com o Rio.

Aliás, segundo o governador, sua mulher Maria Lúcia "está muito abalada" com o arrombamento do apartamento. Ora, ela não mora lá desde a campanha de 2014 (há três anos). Nessa época alugaram um apartamento em frente ao Palácio Guanabara, depois de eleito foi para o Palácio Laranjeiras. Se roubaram apenas duas garrafas de uísque, uma manta e uma camisa autografada, como diz a versão oficial, por que tanto abalo. É estranho!