Reprodução da Veja online
Reprodução da Veja online

A delação de Joesley Batista revela mais um momento "memorável" dos bastidores de Brasília, que vem a ser quando o empresário e o então deputado federal Eduardo Cunha se conheceram pessoalmente e quase saíram no tapa por causa de propina.

o episódio aconteceu em 2013, no governo Dilma, no gabinete do então ministro da Agricultura, Antonio Andrade (PMDB-MG). Eduardo Cunha tinha emplacado Rodrigo Figueiredo como Secretário de Defesa Agropecuária, do Ministério da Agricultura, setor estratégico para os negócio da JBS, que a mando do deputado criava dificuldades para obter facilidades (propina).

O ministro da Agricultura, Antonio Andrade (PMDB-MG), reuniu-se com Joesley Batista em seu gabinete e também convidou Cunha para o encontro. Segundo o delator, o então deputado o abordou rispidamente, dizendo que uma demanda era “inviável”. O empresário também reagiu exaltado, levantou-se, e coube ao ministro entrar no meio para evitar que saíssem no tapa.

De acordo com Joesley, a reunião com Eduardo Cunha nesta ocasião renderam a ele e ao doleiro Lúcio Funaro R$ 7 milhões em propina. Que vergonha!