Ainda hoje a ALERJ deverá votar o projeto de Pezão para aumentar a contribuição previdenciária dos servidores estaduais de 11% para 14%, mesmo sem a Lei de Recuperação Fiscal, aprovada no Congresso, exigir essa contrapartida. Ontem o projeto que estende a calamidade financeira até 2018 foi aprovado por 37 votos a 26, apenas um a mais do que necessário para aprovar hoje o aumento da contribuição previdenciária, projeto muito mais polêmcio. Por isso alguns deputados da oposição estão otimistas achando possível que o aumento da contribuição seja derrubado. Vamos esperar para ver.

Mas esse placar aí de cima é o resultado da votação do destaque (emenda) que proibiria Pezão de demitir servidores de carreira por conta da calamidade financeira. Reparem que 24 deputados estaduais votaram não à emenda (em letras vermelhas), traíram os servidores para dar a Pezão o direito de demitir servidores de carreira.

E depois vou publicar a lista de quem votar a favor do aumento da contribuição previdenciária, se posicionando contra os servidores.