Michel Temer; abaixo reprodução da coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo
Michel Temer; abaixo reprodução da coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo

Para vocês terem uma ideia, Collor, na véspera do impeachment tinha 7% de aprovação. Hoje, como revela a Folha de S.Paulo, levantamentos contratados pelo Palácio do Planalto dão a Temer apenas 5% se aprovação, 1% no caso de algumas capitais nordestinas. Nem Collor nem Dilma conseguíram números tão ruins. Acabou para Temer. Ou alguém imagina que um presidente com tanta reprovação e atolado até o pescoço em denúncias de corrupção pode resistir além de uma semana, perdendo a cada hora o pouco apoio que lhe resta?