Reprodução da Folha de S.Paulo
Reprodução da Folha de S.Paulo

O ministro da Justiça, Osmas Serraglio (PMDB-PR) estava desprestigiado desde a Operação Carne Fraca quando interceptação telefônica flagrou-o chamando de "chefe" o fiscal que comandava a quadrilha que não fiscalizava nada em troca de propinas. Sua situação piorou com o caso da delação da JBS e o monitoramento da Polícia Federal, subordinada ao Ministério da Justiça. Bem, se Temer não confiava mais nele, que simplesmente o exonerasse, ele voltaria para Câmara, afinal é deputado federal. Mas não. O suplente de Serraglio é justamente o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). E Temer não quer de jeito nenhum que ele perca o foro privilegiado. Por isso Serraglio vai para o Ministério da Transparência para que o "homem da mala" de Temer continue como deputado. E o ministro da Transparência, Torquato Jardim, que já fez críticas à Lava Jato assume a Justiça. É simplesmente vergonhoso!