Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

Diz a nota da ministra Cármen Lúcia:

"A Ministra Presidente do Supremo Tribunal Federal não adotará qualquer providência sobre a notícia de que estaria havendo escuta ou medida irregular contra Ministros do Supremo. O Presidente da República garantiu não ter ordenado qualquer medida naquele sentido. Não há o que questionar quanto à palavra do Presidente da República. Portanto, o tema está, por ora, esgotado".

No âmbito da Procuradoria Geral da República não foi divulgado ainda se alguma providência será tomada. Tanto a ministra Cármen Lúcia quanto o procurador Rodrigo Janot já haviam divulgado no sábado notas oficiais repudiando a espionagem ao ministro Edson Fachin.

De qualquer forma o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolou representação na PGR pedindo a investigação contra o presidente Michel Temer sobre a possível prática de atos de obstrução das atividades da Justiça, abuso de autoridade e corrupção passiva.